Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Cabo Verde terá uma protecção civil mais forte se os serviços municipais estiverem organizados e capacitados – presidente SNPCB

Assomada, 24 Out (Inforpress) – O presidente do Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros (SNPCB), Reinaldo Gomes Rodrigues, disse hoje que Cabo Verde terá um serviço de protecção civil “mais forte” se os serviços municipais estiverem devidamente organizados e capacitados.

Reinaldo Rodrigues fez essas considerações quando intervinha na abertura do VII Encontro Técnico da Rede Temática da Protecção Civil da União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA), que decorre até sexta-feira na cidade de Assomada, Santa Catarina.

“Não estou só a referir a questão de termos uma corporação de bombeiros, mas de um gabinete de protecção civil com uma estrutura própria, capaz, a nível municipal, de efectuar um trabalho de fundo, não só nas questões de acção de risco que afecta o município em particular, mas também na melhoria da organização de respostas”, afirmou.

Segundo o responsável, os municípios têm tido esta iniciativa com alguns avanços, mas ainda “há algo que precisa ser consolidado”, tendo apelado aos responsáveis da protecção civil a nível das câmaras, um maior engajamento nesses aspectos.

Reinaldo Rodrigues adiantou ainda que Cabo Verde, sendo um país signatário do Quadro Sendai 2015-2030, o Estado deve tomar medidas com vista a reduzir os riscos de desastres, o que significa que em 2030 o objectivo do Estado é que Cabo Verde seja um país resiliente perante os riscos de desastre.

O presidente do SNPCB indicou que o país tem em horizonte, até 2020, não só estratégia nacional para redução de riscos e desastre aprovada, mas também a estratégia municipal de redução de risco.

A este propósito, anunciou que no início do ano, dois técnicos deverão deslocar-se ao Japão para se formarem com o objectivo de trabalhar num plano de estratégia de redução de risco a nível local.

Intervieram ainda no acto, o presidente da Câmara Municipal de Santa Catarina, José Alves Fernandes, e o coordenador da Rede, Renato Costa, que destacaram a importância do encontro temático, que vai servir para a troca de experiência e a formação.

Paralelamente ao evento, na quinta-feira, será realizada a inscrição dos formandos e abertura da formação, mostrando evacuações de pessoas em ocorrência imediato, queda de rochas e fenómeno erosivo e as habitações nas encostas e proximidade das ribeiras.

O terceiro dia, sexta-feira, será dedicado, igualmente, à formação, e os trabalhos vão incidir sobre os “Incêndios florestais: prevenção, comunicação, coordenação e ataque inicial” e “Desencarceramento e técnicas de primeiros socorros”.

No sábado, será efectuada a visita guiada às localidades de Rincão (Baixo Lá), Ribeira dos Engenhos, Banana Semedo, Parque Natural de Serra Malagueta, exposição de meios e recursos dos Serviços da Protecção Civil e Bombeiros da Região Norte da ilha de Santiago e ainda desfile de viaturas e simulacros (desencarceramento e outros).

CL/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos