“Cabo Verde tem merecido admiração da comunidade internacional” – presidente do Parlamento da Guiné-Bissau  

 

Cidade da Praia, 19 Ago (Inforpress) – O presidente Parlamento da Guné-Bissau afirmou hoje que Cabo Verde tem merecido “admiração da comunidade internacional”  pelo seu trabalho, não só na consolidação da democracia e dos direitos humanos, mas também na consolidação da paz e estabilidade.

Cipriano Cassamá, que falava à imprensa à margem do encontro com o seu homólogo cabo-verdiano, Jorge Santos, disse que Cabo Verde “deve voltar à União dos Parlamentos Africanos para, efectivamente,   estar junto da família africana”.

“Vamos regressar com a esperança de que Cabo Verde participará na grande conferência de chefes dos parlamentos (africanos) em Uagadugu (Burkina Faso)”, manifestou o chefe da casa parlamentar guineense.

A referida conferência da UPA vai decorrer de 06 a 10 de Novembro na capital do Burkina Faso.

Com Jorge Santos, disse Cassamá,  foram também abordadas questões atinentes à cooperação entre os Parlamentos dos dois países que, segundo ele, têm uma “relação de amizade e fraternidade há muitos anos”.

Na sua perspectiva, o Parlamento cabo-verdianos está a encetar, “com coragem” uma reforma  que “deve ser seguidas por outros Parlamentos, não só em África, mas também  no mundo”.

Instado como que vê uma participação mais activa do arquipélago no sentido de ajudar a encontrar uma solução para os problemas que, neste momento, apoquentam a Guiné-Bissau,   Cassamá reconheceu que “Cabo Verde sempre ajudou na solução das crises internas” do seu país.

“Convido os dirigentes de Cabo Verde, em particular o senhor presidente da Assembleia Nacional e o senhor Presidente da República que nos ajudem a encontrar uma solução mais rapidamente possível para a paz e estabilidade na Guiné-Bissau de  que estamos a necessitar há muitos anos”, lançou Cipriano Cassamá.

Perguntado sobre as eleições em Angola, previstas para o próximo dia 23, o chefe da casa parlamentar guineense disse ter “confiança nos observadores e nos dirigentes de Angola”, pelo que espera que sejam “justas e transparentes”.

Depois de se encontrar com Jorge Santos, o presidente do Parlamento guineense foi recebido, em audiência, pelo Chefe de Estado Jorge Carlos Fonseca.

LC/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos