Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Cabo Verde regista 52 novos casos de cancro de mama e cerca de 24 casos de morte em 2020 – coordenadora

Cidade da Praia, 28 Out (Inforpress) – A coordenadora nacional do Programa de Prevenção e Rastreio de Cancro, Carla Barbosa, disse hoje, na Cidade da Praia, que Cabo Verde registou, em 2020, 52 novos casos de cancro de mama e 24 mortes.

Carla Barbosa fez estas declarações à imprensa à margem do seminário sobre a “prevenção do cancro da mama”, promovido pelo o Instituto Nacional de Saúde Pública (INSP), em parceria com a Direcção Nacional de Saúde/Programa de Prevenção e controlo de doenças oncológicas e outras entidades, a decorrer esta quinta-feira.

“Em 2020 foram registadas 2,3 milhões de novos casos e 685.000 mortes. Em 2020 Cabo Verde, segundo a Globocan (Observatório da Agência Internacional de Investigação em Cancro – IARC) registou 52 novos casos de cancro de mama e 24 casos de mortalidade”, apontou Barbosa.

Esta responsável indicou ainda que, de acordo com os dados do relatório do registo oncológico do Hospital Universitário Agostinho Neto (HUAN), em 2017 e 2018 apontam para uma taxa de incidência de 15,8 por 100.000 afectando, principalmente, mulheres entre os 40 e os 59 anos, sua grande maioria diagnosticada em fase avançada da doença, mostrando ser dos cancros mais diagnosticados e das principais causas de mortalidade das mulheres cabo-verdianas.

A coordenadora sublinhou que, para mitigar este problema, o País tem apostado em acções que vão desde a promoção da saúde, prevenção, detecção precoce, melhoria de abordagem do diagnóstico e tratamento do cancro da mama, incluindo cuidados paliativos, bem como o registo oncológico e de investigação, com apoio de diversos parceiros internos e externos.

“Para reforçar estas acções e acelerar este processo de prevenção e controlo do cancro da mama, Cabo Verde junta-se à iniciativa global contra o cancro da mama (GBCI), lançada pela OMS de forma a ajudar os países na prevenção e gestão do cancro da mama”, concretizou Carla Barbosa.

Esta iniciativa, precisou, tem como objectivo reduzir a mortalidade global por cancro da mama em 2,5% por ano e assim evitar 2,5% de mortes por cancro da mama em todo o mundo entre 2020 e 2040 em mulheres com menos de 70 anos.

Conforme acrescentou, a referida acção global centra-se em três pilares, nomeadamente, a promoção da saúde, o diagnóstico atempado e a gestão abrangente do cancro da mama.

A coordenadora nacional do Programa de Prevenção e Rastreio de Cancro destacou a importância da detecção precoce do cancro da mama, lembrando que a responsabilidade de se fazer o autoexame e de ter uma rotina médica “está em cada um de nós”.

Sublinhou ainda que Cabo Verde está a trabalhar no sentido de se munir de condições para fazer radioterapia aqui no País, diminuindo a evacuação externa.

“Já foi dito por superiores que vamos ter um hospital regional cujos grandes objectivos será a diminuição da evacuação externa, ou seja, vão contemplar a parte da oncologia que terá, com certeza, a radioterapia”, sustentou.

TC/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos