Cabo Verde quer relacionamento mais forte com OCDE e estuda possibilidade de ser membro

 

Cidade da Praia, 13 Jul (Inforpress) – O arquipélago cabo-verdiano quer ter uma relação “mais forte e inteira” com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e está a estudar a possibilidade de ser membro, confirmou o Presidente da República.

Esta possibilidade foi discutida durante uma visita realizada esta quarta-feira, 12, pelo Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, à sede da organização em Paris, durante a qual manteve um encontro com o secretário-geral da OCDE e um almoço de trabalho com um grupo de directores e conselheiros.

Em declarações à Inforpress, o Chefe de Estado disse que foi um encontro exploratório feito em concertação com o Governo para ver a possibilidade de Cabo Verde ter um relacionamento “mais forte e mais inteiro” com a OCDE.

“Foi uma oportunidade para trocarmos impressão sobre o relacionamento entre Cabo Verde e essa organização. Nós somos membros do Centro de Desenvolvimento da OCDE, mas estivemos a discutir a possibilidade de ter uma relação mais inteira mais forte com a OCDE”, disse Jorge Carlos Fonseca.

“Deram-nos muitas informações, trocamos impressões sobre a situação económica, política e social de Cabo Verde”, acrescentou em conversa com a Inforpress a partir de Paris.

Questionado se Cabo Verde almeja ser membro da organização que é actualmente integrada por 35 países, Jorge Carlos Fonseca, disse que durante o diálogo essa possibilidade não foi excluída.

“Fui ter uma conversa exploratória e estamos a ver o que é possível. Mas o certo é que Cabo Verde quer ter uma relação mais forte com a OCDE. Apesar de não haver países africanos ainda no grupo, essa integração não é proibida”, disse.

A OCDE é uma organização internacional integrada por países que aceitam os princípios da democracia representativa e da economia de livre mercado, que procura fornecer uma plataforma para comparar políticas económicas, solucionar problemas comuns e coordenar políticas domésticas e internacionais.

Tem por objectivo apoiar um crescimento económico duradouro, desenvolver o emprego, aumentar o nível de vida, manter a estabilidade financeira, ajudar os outros países a desenvolverem as suas economias e contribuir para o crescimento do comércio mundial

É integrada actualmente por 35 países e a maioria dos membros é composta por economias com um elevado PIB per capita e Índice de Desenvolvimento Humano e são considerados países desenvolvidos.

Neste momento está no processo de aceitação de mais países como o Brasil, Croácia, Roménia e outros.

MJB/ZS

Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos