Cabo Verde quer regulamentar consumo do sal e do açúcar

Cidade da Praia, 30 Jan (Inforpress) – Cabo Verde quer regulamentar o consumo do sal e do açúcar, disse hoje na cidade da Praia o director Nacional da Saúde, Artur Correia, anunciando também a criação de uma equipa técnica para se debruçar sobre o assunto.

Artur Correia falava à imprensa à margem da conferência sobre Abordagem STEPwise na vigilância dos factores de risco das doenças não transmissíveis na Região Africana da OMS, realizada hoje no âmbito da visita a Cabo Verde, de uma missão de assistência técnica de um consultor da OMS, para trabalhar na preparação do II Inquérito às Doenças Crónicas Não-
Transmissíveis (IDNT) 2019.

Segundo o director Nacional da Saúde, já há, neste momento, uma equipa técnica para se debruçar sobre a problemática do consumo do sal e de açúcar e as suas relações com as doenças não transmissíveis, nomeadamente as cardiovasculares e os cancros.

Conforme avançou Artur Correia, esta equipa vai, brevemente, fornecer uma nota conceptual técnica que vai permitir às autoridades sanitárias nacionais projectar as acções que devem ser tomadas, eventualmente na própria legislação e regulamentação.

“Nós já sabemos que há consumo exagerado do sal em Cabo Verde. Então, temos que fazer alguma coisa no sentido de mitigarmos os efeitos do sal e dos açúcares também”, completou a mesma fonte, explicando a necessidade desta regulamentação, no sentido de tentar diminuir o consumo destes alimentos por parte da população, mas também regulamentar no sentido de haver atitudes pedagógicas das empresas alimentares responsáveis pela produção ou importação destes produtos.

GSF/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos