Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Cabo Verde propõe vacina da Moderna na aplicação da terceira dose – DNS (c/áudio)

Cidade da Praia, 17 Nov (Inforpress) – O director nacional da Saúde anunciou hoje, na Praia, que Cabo Verde pretende aplicar a vacina da Moderna na terceira dose da vacinação contra a covid-19, porque é esta a vacina que o país tem disponível de momento.

Jorge Noel Barreto, que falava à imprensa, esta manhã, à margem da visita que efectuou às novas instalações da Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), explicou que neste momento as vacinas da Astrazeneca estão reservadas para o reforço da segunda dose de quem já tomou a primeira.

“Vamos propor a aplicação da vacina da Moderna isso porque a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que as doses de reforço podem ser de uma vacina diferente daquela que a pessoa tomou nas duas primeiras”, revelou Jorge Noel Barreto.

Explicou que neste momento estão a organizar e a fazer os preparativos para permitir aos grupos prioritários a oportunidade de receberem a terceira dose, conforme tem acontecido em outros países.

“Estamos a falar principalmente de pessoas que têm idade igual ou superior a 60 anos, com doenças cronicas como hipertensão, diabetes doenças cardíacas e outras patologias que possam debilitar o sistema de defesa”, referiu o director, que disse que brevemente será anunciada uma data para o início da terceira dose.

Questionado sobre o aumento do número de casos nos países europeus, Jorge Noel Barreto afirmou que a situação epidemiológica do país é bastante “satisfatória”, onde as autoridades estão a fazer o seguimento “apertado” da situação com testagem e controlo das vacinas nos pontos de entrada e com mecanismo de identificação de casos suspeitos.

“Estamos preparados, atentos e a tomar todas as medidas para que a situação se mantenha o mais controlado possível”, sublinhou.

Na ocasião reconheceu que a plataforma de certificação da covid-19 tem tido problemas e constrangimentos e assegurou que estão a trabalhar e fazer todos os esforços para dar uma melhor resposta o mais breve possível. 

A pandemia da covid-19 provocou pelo menos 5.105.488 mortes em todo o mundo, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A covid-19 é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detectado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e actualmente com variantes identificadas em vários países.

AV/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos