Cabo Verde prepara participação e mensagem conjunta com Pequenos Estados Insulares sobre Dia dos Oceanos (c/áudio)

Mindelo, 29 Nov (Inforpress) – Cabo Verde vai preparar uma participação e mensagem conjunta com os Pequenos Estados Insulares para o Dia Mundial dos Oceanos, efeméride celebrada anualmente a 08 de Junho pelas Nações Unidas.

Esta Informação foi avançada hoje à imprensa pelo secretário de Estado-adjunto para a Economia Marítima, Paulo Veiga, à margem do encerramento da segunda edição da Cabo Verde Ocean Week, que aconteceu no Mindelo.

“Nós, já através da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), mas também através dos Pequenos Estados Insulares, ou como eu costumamos dizer grandes Estados oceânicos, como as Seychelles, vamos preparar a nossa participação e comunicar a nossa mensagem em conjunto sobre o Dia dos Oceanos”, declarou o governante.

Paulo Veiga defendeu que a saúde dos oceanos “é uma prioridade” pelo que considerou que as medidas neste sentido já estão a chegar tarde.

Sobre a segunda edição da Cabo Verde Ocean Week, a mesma fonte destacou como “grandes ganhos” do evento a mobilidade eléctrica na pesca artesanal, projecto, concretizou, cujo Governo pretende estender para os transportes marítimos a nível nacional.

Outros ganhos, segundo Paulo Veiga foram as parcerias desenvolvidas através de encontros bilaterais com a China, com o Canadá, com a Alemanha, com Portugal entre outros países e com instituições, por exemplo.

Neste sentido, citou como exemplo dessas parcerias a decisão de preparar Cabo Verde para entrar numa organização não-governamental (ONG) que faz parte da transparência na pesca desde hora da faina até entrar na fábrica e ser transformada para o consumo do público.

A nível da cooperação, sustentou, Cabo Verde terá acesso a programas de mestrado e pós-graduação na área dos oceanos e da mudança climática, através do programa das Alterações Climáticas e Ciências Marinhas (WASCAL, sigla em inglês).

“Vamos ter acesso a mestrados e pós-graduados, não só aqui na Universidade de Cabo Verde, mas também a nível da região. Os nossos estudantes podem candidatar-se para ir a esses cursos na Nigéria, no Benim e em vários outros países da região”, explicou.

Conforme o secretário de Estado-adjunto para a Economia Marítima esses ganhos vão ao encontro daquilo que é a política que o Governo quer para a economia azul, um programa que o executivo deseja implementar já no próximo ano.

“Nós estamos na fase de transição para a economia azul, já temos o plano estratégico e vamos ter o plano de investimento e o plano de promoção para a economia azul pronto até o final do ano para implementar durante 2020”, arrematou Paulo Veiga.

CD/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos