Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Cabo Verde precisa de 26 mil casas até 2030 para garantir habitação condigna a todos cabo-verdianos

Cidade da Praia, 18 Mar (Inforpress) – Cabo Verde precisa, até 2030, de cerca 26 mil novas habitações, numa média anual de 1.700 a 2.000 novas unidades, para garantir habitação condigna a todos os cabo-verdianos, revelou hoje a ministra das Infra-estruturas e Habitação.

Eunice Silva falava à imprensa hoje, na Cidade da Praia, à margem da cerimónia de socialização do Plano Nacional de Habitação para os próximos dez anos (PLANAH 2021-2030.

O objectivo da socialização é de, através da junção de todos os contributos, facultar a todos os cabo-verdianos um documento que sirva de instrumento de diálogo para a definição das prioridades, e de um quadro de suporte simplificado para a acção coordenada dos intervenientes do sector de habitação.

Segundo Eunice Silva, trata-se do principal instrumento de implementação da Política Nacional de Habitação (PNH) e a concretização dos compromissos assumidos pelo Governo, com vista ao cumprimento da obrigação constitucional imposta aos poderes públicos de garantir habitação condigna a todos os cidadãos.

Segundo esta responsável, em 2017, o Governo através de um trabalho de levantamento da situação habitacional em Cabo Verde estruturou um Perfil do Sector de Habitação (PSH) que estabelece o diagnóstico da situação de Cabo Verde nesta matéria, do ponto de vista do deficit quantitativo e qualitativo.

“Na sequência da elaboração do perfil, nós passamos para a elaboração das políticas, as políticas também estão publicadas no Boletim Oficial, tivemos que fazer duas políticas que é a política da habitação e a política do ordenamento do território, são duas áreas que são interdependentes. Com as políticas públicas, iniciamos o processo de planificação do Plano Nacional de Habitação”, lembrou.

Questionada sobre as políticas e medidas necessárias para que até 2030 os cabo-verdianos possam beneficiar de uma habitação condigna, Eunice Silva afirmou que o Governo, no quadro do seu programa, tem ao longo dos cinco anos de governação desenvolvido trabalhos em parceria com as câmaras municipais, através de vários programas e iniciativas implementadas em várias ilhas.

Entretanto, reconheceu que para a sua concretização no horizonte 2030 serão  necessários vários investimentos e parcerias, frisando que os desafios para a sua implementação existem e que os parceiros internacionais são a parte importante para a execução do referido plano.

Disse, por outro lado, que o programa prevê atingir as diferentes classes sociais, sublinhando, no entanto, que o foco será as famílias cabo-verdianas mais carenciadas.

O evento contou com a participação dos diferentes actores do sector de habitação, de quem o Governo espera obter durante o encontro não só a validação das suas opções estratégicas, como também subsídios para a concepção de programas e projectos habitacionais a serem implementados em todo o território nacional.

CM/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos