Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Cabo Verde precisa aperfeiçoar estratégia turística para tornar o sector sustentável – economista

 

Cidade da Praia, 28 Set (Inforpress) – O economista Amílcar Monteiro afirmou que Cabo Verde tem de criar “políticas concertadas” e “aperfeiçoar a sua estratégia turística” para tornar o sector sustentável e com benefícios para as populações locais.

A ideia foi defendida pelo economista momentos antes de apresentar o painel “Desafios para o Turismo Sustentável em Cabo Verde”, á margem da conferência “Turismo Sustentável, uma ferramenta para o Desenvolvimento”, promovida pela Associação do Turismo, Género e Sustentabilidade em Cabo Verde & Diáspora, no âmbito do Dia Mundial do Turismo, assinalado quarta-feira, 27.

Amílcar Monteiro, que é também gestor da página turismo sustentável em Cabo Verde “thank thank”, disse que para Cabo Verde ter um turismo sustentável é necessário que haja políticas e decisões concertadas, mas também investimentos como aeroportos, estradas, telecomunicações e que permitam trazer retorno a sociedade em termos de qualidade de vida.

O responsável disse que não há um turismo sustentável se não houver políticas e decisões coordenadas e concertadas para que Cabo Verde siga o caminho do turismo sustentável.

No seu entender, para o tão desejado turismo sustentável o estado deve apostar também no   desenvolvimento da agricultura, das pescas, da indústria, dos transportes aéreos marítimos inter-ilhas, da logística sobretudo na integração do arquipélago.

O economista defende ainda a criação de uma cadeia de valores para o turismo nacional, para explorar e divulgar melhor, uma vez que poucas pessoas conhecem e sabem que para além de sol e praia, Cabo Verde oferece também turismo de montanhas, mergulho e entre outros.

“Neste momento temos uma realidade que é o turismo all inclusive com as cadeias de valor completamente integradas e que permitem a cerca de 600 mil turistas visitar o país para desfrutar da oferta de sol e praia”, disse o responsável que reconheceu também a necessidade de uma maior promoção do país lá fora.

Amílcar Monteiro avançou que o turismo contribui com cerca de 25 por cento (%) para o Produto Interno Bruto (PIB), que no seu entender com impacto positivo e benefícios a nível económico, mas defende que o sector não deve ser visto só nesta óptica, sendo que há outros factores essenciais que devem ser levados em conta e tratados, nomeadamente a questão ambiental.

Para que as ilhas do Sal e Boa Vista não correm o risco se serem procurados com destinos mais atractivos, deve haver uma harmonia entre o ambiente e a oferta turística.

Durante o encontro que reuniu empresários e profissionais do turismo do sector público e privado, foram debatidos ainda a temática, “Género no Turismo em Cabo Verde- Empoderamento Ou Submissão” e “Hotéis Sustentáveis “Boas Praticas”.

AV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos