Cabo Verde, Portugal e Luxemburgo podem estabelecer cooperação nas áreas da segurança marítima e formação

 

Cidade da Praia, 30 Ago (Inforpress) – Cabo Verde, Portugal e Luxemburgo podem vir a estabelecer proximamente, acções conjuntas de cooperação nas áreas da segurança marítima e formação.

Esta intenção foi manifestada no âmbito da V reunião da subcomissão bilateral de defesa entre Cabo Verde e Portugal, que aconteceu hoje, na Cidade da Praia, visando a assinatura das fichas de projectos na área da defesa nacional, inscritas no Programa Quadro de Cooperação no domínio da Defesa para o período 2017-2021, estabelecido em Fevereiro deste ano.

“Na reunião trilateral (amanhã, quinta-feira), vamos analisar as áreas que poderão ter interesse para os três países e há duas áreas que já foram identificadas, nomeadamente a segurança marítima e formação”, informou o director-nacional da Defesa de Cabo Verde, o tenente coronel Paulo Lopes.

Luxemburgo tem sido um parceiro de desenvolvimento de Cabo Verde em outras áreas pelo que faltava essa parte da defesa, um sector muito importante para o país, sublinhou o tenente coronel.

“No caso da segurança marítima Luxemburgo não tem mar, mas poderá financiar as acções de formação destinadas às Forças Armadas de Cabo Verde a serem ministradas por Portugal que dispõe de estruturas nesta área”, disse Paulo Lopes.

Segundo este responsável, Luxemburgo não tem as instituições vocacionadas para aquilo que são as pretensões de Cabo Verde no domínio da segurança marítima, mas Portugal dispõe de academias e escolas nesta área.

“Nenhum país consegue fazer face à segurança marítima sozinho. O que estamos a fazer é criar sinergias com vários países e garantirmos a segurança marítima nas nossas águas e na região atlântica e no Golfo da Guiné”, explicou Paulo Lopes em declarações à imprensa, indicando que da parte do Luxemburgo há muita vontade de estabelecer esta cooperação trilateral.

Por sua vez, o director-geral de Política de Defesa Nacional de Portugal, Nuno Pinheiro Torres, disse que a cooperação com Cabo Verde no domínio da defesa é uma prioridade e que a vontade do actual Governo de Portugal é reforçá-la.

O director-geral de Política de Defesa Nacional de Portugal realçou também que o programa Quadro de Cooperação no domínio da Defesa para o período 2017-2021 estabelecido em Fevereiro deste ano, vem reforçar algumas dimensões dessa cooperação em relação ao programa quadro anterior.

Nuno Pinheiro Torres disse também que a segurança marítima é uma das apostas do programa Quadro de Cooperação no domínio da Defesa para o período 2017-2021.

“Aquilo que se passa em toda a região do Golfo da Guiné em termos de segurança importa não apenas aos países africanos, mas também a outros países do Atlântico Norte. Daí o empenho que tem sido colocado por Portugal no apoio às iniciativas desenvolvidas em Cabo Verde, nomeadamente na fiscalização das suas águas territoriais”, salientou.

No primeiro semestre deste ano a fragata portuguesa Álvares Cabral esteve em Cabo Verde e participou de algumas acções de fiscalização conjunta. O P3 da Força Aérea portuguesa também esteve em Cabo Verde e levou a cabo acções de fiscalização, informou Nuno Pinheiro Torres.

Neste semestre chega a Cabo Verde também entre Novembro e Dezembro um navio hidrográfico para desenvolver acções no âmbito da cooperação e fiscalização, sublinhou, lembrando que há um compromisso de Portugal com Cabo Verde em apoiar a segurança e a autoridade do Estado no mar, através de um tratado que está assinado entre os dois países e que é implementado com a presença dos meios navais portugueses nas águas do arquipélago.

JL/FP

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos