Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Cabo Verde irá ter o primeiro Centro de Inteligência Colectiva em África – Governo

Cidade da Praia, 31 Mai (Inforpress) – O Governo apresentou hoje o projecto para a criação do primeiro Centro de Inteligência Colectiva em África, prevendo formar, até 2021, 300 jovens na área da programação e criar três mil postos de trabalho em dez anos.

Em conferência de imprensa hoje, na Cidade da Praia, o secretário de Estado da Economia Digital, Pedro Lopes, adiantou que o Governo e a empresa Zona 01 assinaram recentemente um memorando de entendimento para a economia digital e para formação de jovens cabo-verdianos e africanos que falam a língua portuguesa, enquadrado no objectivo do executivo em “atrair talento” para Cabo Verde e desenvolver economia digital.

Para isso, avançou o secretário de Estado da Economia Digital, há a necessidade de formar jovens nesta área, tendo salientado, de igual modo, que “acredita” na valia do acordo, visto que uma das metodologias de ensino da Zona 01 é a usada na Escola 42, “uma das maiores escolas de programação de computadores do mundo”.

O objectivo é também, conforme explicou o responsável, reforçar a formação de jovens cabo-verdianos na área da economia digital e fazer com que as empresas tenham os melhores técnicos na área.

“Isto enquadra também no contexto da constituição da parte tecnológica que será finalizada no final de 2021, e este memorando de entendimento será depois implementado pela equipa da parte tecnológica”, elucidou

O propósito é ter, até o final de 2021, 300 jovens de Cabo Verde e 26 países parceiros africanos formados na programação, que serão seleccionados “meritocraticamente com base nas suas capacidades cognitivas e na sua motivação” e farão parte da primeira turma deste centro de inteligência colectivo.

Pedro Lopes frisou ainda que a pretensão é criar em dez anos três mil postos de trabalho, tendo destacado, por outro lado, a importância da empresa Zona 01 que não só forma, e sim por ser o primeiro Centro de Inteligência Colectiva de toda a África.

Com a implementação do centro, o governante sublinhou que tenciona atrair para Cabo Verde empresas internacionais que tenham espaço no parque tecnológico do País, visando também o reforço no desenvolvimento do arquipélago, através da economia digital.

“Nenhuma experiência anterior em programação de computador ou qualificações académicas serão exigidas jovens”, ressaltou Pedro Lopes, para quem esta parte é “revolucionária”,  já que os jovens não precisam de ter nenhuma formação específica, “apenas conhecimento básico de inglês e serem bons no raciocínio lógico“.

Portanto, esclareceu, jovens de qualquer idade podem candidatar-se, adiantando que a formação é gratuita e que os candidatos residentes fora da Ilha de Santiago podem ter residência gratuita, uma vez que aspecto consta do acordo rubricado.

“Queremos que jovens de outros países possam vir a Cabo Verde, porque o nosso objectivo é transformar Cabo Verde num hub digital e um País de prestação de serviço na área digital e para isso temos que ter os melhores, aproveitando o talento que por vezes não é aproveitado na nossa sub-região”, sustentou.

Segundo o mesmo, o projecto tem três fases, a primeira que foi assinatura do memorando de entendimento, a segunda é a implementação e a terceira a conquista de um posto de trabalho por estes jovens, afirmando que brevemente serão abertas as candidaturas.

TC/AA

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos