Cabo Verde Investment Forum: Governo espera assinatura de contratos no montante de dois mil milhões de euros

Cidade da Praia, 31 Mai (Inforpress) – O Governo espera a assinatura de acordos e convenções de estabelecimento no montante de dois mil milhões de euros, no Cabo Verde Investment Forum, evento que acontece nos dias 16 e 17 de Junho, na ilha do Sal.

A meta foi apresentada pelo vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, que explicou que com este fórum, promovido pela Cabo Verde TradeInvest, está-se a criar oportunidades para que os privados possam fazer negócios, estabelecer parceiras e a criar condições para que concretizem os seus projectos.

Olavo Correia sublinhou que Cabo Verde tem aspirações e quer ser país desenvolvido e, por isso, defende que têm de ser criadas oportunidades para os jovens.

Para que isso aconteça, afirmou o governante, é preciso investir nos mais diversos domínios, nomeadamente na agricultura, nas infraestruturas, no turismo, na indústria, no comércio, no sistema financeiro, na economia digital e na transição energética.

Entretanto, sublinhou que o Estado sozinho não tem recursos para investir em tudo e em todo lado para responder às necessidades das pessoas e, neste sentido, defende que é preciso estabelecer parcerias com os privados.

“Nos temos todas as condições para captar, cada vez mais, investimentos privados nos mais diversos domínios. O Estado sozinho não consegue. Portanto, o elemento essencial de uma governação moderna de futuro é uma parceria entre o público e privado, uma parceria transparente, regulada com delimitações claras de responsabilidades”, sustentou Olavo Correia.

A meta ora estabelecida para este fórum, que tem como lema “Cabo Verde aberto ao mundo”, é perfeitamente alcançável, na perspectiva do ministro, que indica que a equipa está motivada.

No entanto, sublinhou que o objectivo não é apenas de assinalar contratos ou convenções de estabelecimento, mas ajudar também na concretização dos projectos.

“Um país desenvolvido é um país de empreendedores, é um país onde há investimentos, onde há empresas fortes, onde há empresas que produzem e exportam, onde há empresas que conseguem gerar empregos qualificados e bem remunerados”, sustentou, apelando ao empresariado cabo-verdiano a aproveitar esse projecto.

O evento deverá contar com a participação de empresários nacionais, estrangeiros e de várias instituições financeiras nacionais e internacionais como o Banco Mundial, a Sociedade Financeira Internacional, o BAD, o BADEA e fundos de investimentos.

Carquejinha Beach, da ilha da Boa Vista, Ponta Sirena do Sal, Atlantic Marina de São Vicente, Nortuna, Aquasun, LNG Clean Islands e Fundação Smart City são alguns dos projectos estruturantes que vão ser apresentados durante o fórum.

“Portanto, são um conjunto de projectos que vão ser assinados num valor considerável. É um momento, sobretudo, para dar oportunidade aos empresários nacionais terem contactos com instituições financeiras internacionais que vão estar presentes do fórum”, disse o presidente do conselho de administração da Cabo Verde TradeInvest, José Almada Dias.

Além das assinaturas de acordos e convenções de projectos estruturantes para Cabo Verde, do programa constam sessões temáticas com palestrantes de várias origens, reunião B&B, sessões plenárias e uma agenda social a completar o evento.

No total estão esperados mais de 200 participantes neste evento que terá formato híbrido.

MJB/CP

Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos