Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Cabo Verde Airlines retoma voos internacionais com ligação entre Sal e Lisboa

Cidade da Praia, 18 Jun (Inforpress) – A Cabo Verde Airlines (CVA) retoma hoje os voos internacionais, com uma ligação entre a ilha do Sal e Lisboa, Portugal, depois de 15 meses com actividades suspensas, por causa das limitações impostas pela covid-19. 

De acordo com informações da companhia, a retoma será gradual, conectando Cabo Verde através do ponto central na ilha do Sal, sendo que de 28 de Junho até 28 de Março de 2022, a CVA irá operar quatro voos semanais entre Praia/Sal e Lisboa às sextas e segundas-feiras, um voo semanal para e de Sal/Praia/Boston às terças com regresso às quartas-feiras e um voo semanal para e de Sal/São Vicente/Paris aos sábados com retorno aos domingos. 

No comunicado enviado à redacção da Inforpress a anunciar a retoma, lê-se que, dependendo da taxa de vacinação e do desbloqueio das fronteiras internacionais, é esperado o lançamento de novas frequências e destinos adicionais, assim que as condições pandémicas o permitam. 

A companhia aérea informou que dispõe de um novo serviço de sistema de passageiros, denominado HITIT, uma plataforma moderna com uma solução de vendas, operações e contabilidade integrada. Uma nova tecnologia que irá aumentar a eficiência e a confiabilidade do apoio ao cliente. 

A Cabo Verde Airlines esteve parada desde Março de 2020, contudo “aproveitou esta paragem forçada pela pandemia para se reorganizar, treinar as suas equipas e implementar um novo sistema de vendas que permite que os passageiros sejam automaticamente notificados de todos os voos em andamento”. 

A companhia informou igualmente que terá também um programa de reutilização de vouchers de voo que não tenham sido utilizados, o que permite que a viagem possa ser agendada até três anos após a emissão, um programa que ambiciona compensar todos os passageiros pelos voos cancelados como resultado da repentina pandemia que assolou todas as companhias aéreas. 

Em Março de 2019, o Estado de Cabo Verde vendeu 51% da então empresa pública TACV (Transportes Aéreos de Cabo Verde) por 1,3 milhões de euros à Lofleidir Cabo Verde, empresa detida em 70% pela Loftleidir Icelandic EHF (grupo Icelandair, que ficou com 36% da CVA) e em 30% por empresários islandeses com experiência no sector da aviação (que assumiram os restantes 15% da quota de 51% privatizada). 

A CVA concentrou a actividade nos voos internacionais a partir do ‘hub’ do Sal, deixando os voos domésticos. 

DR/GSF//HF

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos