Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Brava: Fundação Brava Sustentável elege com prioridade a solução para o problema de transportes de e para ilha

Nova Sintra, 03 Dez (Inforpress) – O presidente da Fundação para o Desenvolvimento da Brava Sustentável, José Gonçalves, avançou hoje que a procura de uma solução para o transporte de ligação de e para Brava é uma das prioridades.

José Gonçalves, que foi ministro da Economia Marítima e ministro do Turismo e Transportes na anterior legislatura, fez esta declaração em entrevista à Inforpress, lamentando a situação em que ilha vive neste momento, colocando os bravenses num “confinamento natural”.

Na semana passada, devido a alguns contratempos com as embarcações da CV InterIlhas, a ilha teve somente duas ligações marítimas , ficando todos os dias sem embarcação no porto da Furna e esta semana teve uma ligação na quarta-feira, mas ainda não se sabe se neste final de semana haverá mais ligações pelo menos com a ilha do Fogo.

Segundo a mesma fonte, a pretensão é criar mecanismos para assegurar pelo menos a ligação Fogo – Brava e vice-versa, o que além de dar mais tranquilidade à população, vai apoiar no processo do desenvolvimento turístico da ilha.

Sem ligações fiáveis, os turistas já começaram a cancelar as reservas feitas e alguns emigrantes que estão na ilha já se encontram apreensivos, pois alguns já possuem voos agendados para Praia na segunda-feira, com voos de ligação para o exterior ou outras ilhas, que podem estar comprometidas caso não houver viagem de ligação Brava –Fogo neste final de semana.

Afora esta situação de passageiros com outros itinerários agendados, nas lojas e supermercados já é visível a falta de vários produtos, começando pelas verduras, frutas e legumes que não se encontram em quase nenhum dos estabelecimentos comerciais, começando a causar uma certa preocupação no seio dos bravenses que já estão a considerar esta situação “preocupante e muito complicada”.

Sendo assim, além de outras áreas de intervenção, José Gonçalves diz ser crucial pensar numa solução inovadora, pelo menos que garanta estabilidade aos bravenses e outras pessoas que querem chegar à Brava.

Para as restantes ilhas, este dirigente avançou que a CV InterIlhas, que possui a concessão, vai unir o país, mas a Brava “não pode depender somente desta unidade de mercado nacional porque possui muitas deficiências” e das ilhas tidas é a que “mais sofre”.

“Estamos a ver neste momento quatro barcos parados e a Brava é a que mais sofre”, finalizou, realçando que há que ter uma solução para esta questão, mesmo que seja com a procura de parcerias no exterior.

MC/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos