Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Brava: Psicólogo alerta sobre necessidade de mais debates das problemáticas que afligem os adolescentes e jovens

Nova Sintra, 20 Nov (Inforpress) – O psicólogo da delegacia de saúde da Brava, Adilson Bango, alertou hoje sobre a necessidade de haver mais espaços e debates que debruçam e reflictam sobre as problemáticas que estão afligindo os adolescentes e jovens.

Adilson Bango falava em declarações à Inforpress, após a apresentação do tema “O álcool e outras drogas psicopáticas”, no fórum infanto-juvenil, para assinalar o Dia Internacional dos Direitos das Crianças e o 32° aniversário da Convenção Sobre os Direitos da Criança (CDC).

Segundo a mesma fonte, “é sempre importante” a criação destes espaços para discutir e debater temas importantes para a sociedade, não somente a questão do consumo do álcool e de outras drogas, mas também outros temas que afligem a sociedade.

Pois, justificou que na questão do álcool é “importante” estar perto dos jovens, crianças e adolescentes para desmistificar alguns mitos existentes relativamente ao consumo dos mesmos, porque há o mito de que a droga pode estimular a capacidade e a inteligência, melhorar o rendimento escolar, quando na verdade, segundo o psicólogo, há um impacto ao contrário “enorme” quanto ao consumo do álcool e outras drogas, no funcionamento neuronal.

Daí, defendeu que é preciso informar e divulgar estas informações para quebrar tais mitos e contribuir para um impacto positivo na vida dos adolescentes e jovens, ao partilhar estes conhecimentos e fazer com que estes não caiam no mundo das drogas.

Na Brava, a mesma fonte destacou que existem algumas comunidades que requerem algum olhar específico, exemplificando com as comunidades de Lomba e Cachaço, onde o consumo de álcool e outras drogas é mais frequente, sublinhando que não isenta ou exclui as outras zonas também.

Mas, continuou defendendo que é preciso ter alguma política “mais assertiva” em relação a isto, porque os estudos indicam que o consumo do álcool e das drogas está acontecendo cada vez mais precoce, à volta dos 12 anos, sendo necessário falar sobre estes temas, para desmistificar junto dos pais e encarregados da educação, escolas e a comunidade em geral alguns mitos e sobre o uso do álcool e da droga, assim como reforçar as medidas de prevenção.

Geovanny Baptista, um dos deputados mirins que representou os adolescentes bravenses, também deu o seu contributo neste tema, fazendo uma apresentação aos seus colegas, justificou que escolheu este tema, porque tem deparado com muitos adolescentes e jovens que usam drogas e álcool e que o futuro destas pessoas pode ser comprometido, praticando más acções, como roubos, furtos, agressão, entre outros.

Daí, optou por falar do tema para alertar os jovens e adolescentes presentes no sentido de fazerem outras escolhas e não enveredar por este caminho, que compromete o futuro dos mesmos.

“Se não querem ser toxicodependentes e ver o futuro comprometido, a solução é não experimentar álcool e nem outras drogas”, aconselhou o mini-deputado.

MC/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos