Brava: Psicóloga aconselha sociedade a procurar ajuda e a “não se afogar no fingimento de que tudo está bem” (c/áudio)

Nova Sintra, 11 Abr (Inforpress) – A psicóloga Edoneia Teixeira pediu hoje, na ilha Brava, à sociedade para procurar ajuda sempre que necessário para “não se afogar no fingimento de que tudo está bem”.

A psicóloga falava à Inforpress no dia que se comemora o dia do psicólogo cabo-verdiano, realçando que na Brava, ilha onde trabalha, o profissional de psicologia é visto como sendo um “mágico”.

Conforme explicou, há ainda muito tabu acerca do psicólogo e muitas pessoas acabam por ver este profissional como sendo alguém que “conserta a cabeça das pessoas”.

Até porque, segundo a mesma fonte, muitas pessoas dizem que não vão ou não precisam de psicólogo porque não estão loucos, entre outras coisas que leva a sociedade a crer que quem procura o psicólogo é porque está “louco, ou possui alguma perturbação mental”.

E para desmistificar este tipo de pensamento, defende que é preciso fazer muita sensibilização no terreno, para falar sobre o psicólogo, a sua função e áreas de actuação, de forma a incutir na cabeça das pessoas de que o psicólogo é um profissional que qualquer ser humano pode procurar independentemente da sua situação.

“Muitas vezes há pessoas que ignoram a psicologia por não saberem o que realmente é ou de não saberem qual a função do profissional desta área”, afiançou Edoneia Teixeira.

Quanto à actuação do psicólogo no ambiente escolar, tendo em conta que esta faz parte da Equipa Multidisciplinar de Apoio à Educação Inclusiva (EMAEI) da Brava, destacou que ainda estão a ser enquadrados, tendo em conta que “muitas pessoas não dão valor ao psicólogo na escola, embora este possui muita importância e valor no contexto escolar”.

Na equipa EMAEI, evidenciou que trabalha no atendimento das crianças sinalizadas com Necessidades Educativas Especiais, mas também tem feito palestras, organizado conversas abertas em concertação com professores, directores de turma para falar sobre os temas que fazem parte do ensino, como as formas de comportamento, disciplina e indisciplina, bullying, motivação e auto-estima na escola, entre outros temas.

Quanto à sociedade em geral, aconselha que quando uma pessoa estiver a enfrentar um problema que não consegue resolver “é importante procurar ajuda”, uma ajuda que, segundo a mesma, o psicólogo consegue oferecer tendo em conta a sua forma de actuar.

“Quando se procura o psicólogo é porque a pessoa possui mente aberta, e quando possui conhecimento da importância do psicólogo a pessoa fica mais livre para procurar ajuda com mais autonomia”, finalizou a psicóloga, alertando as pessoas a não se afogarem ao tentar fugir do problema, ou fingindo que tudo está bem, mas que procurem ajuda.

MC/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos