Brava: Presidente da câmara apela à resolução definitiva dos problemas dos transportes marítimos

Cidade da Praia, 02 Ago (Inforpress) – O presidente da Câmara Municipal da Brava, Francisco Tavares, apelou hoje à resolução definitiva dos problemas de ligações marítimas e criação de condições para que a ilha tenha barcos permanentes e responda às demandas da população.

O edil da brava fez este apelo na sequência do falecimento do adolescente que respondia pelo nome de Djonny, que acabou por falecer esta segunda-feira no Hospital Regional do Fogo, depois do bote de pesca em que estava a ser transferido, no domingo, dia 31 de Julho, da Brava, ter avariado a meio do caminho.

Francisco Tavares lamentou o ocorrido, apelando, no entanto, a população para confiar naquilo que tem sido transmitido pelas autoridades sanitárias relativamente ao quadro de saúde clínico do adolescente que levou ao desfecho trágico.

“A Brava tem de ser uma ilha em que o barco deve pernoitar na ilha e permanecer o maior tempo possível. Tivemos então o caso de no dia anterior chegar à ilha brava dois barcos após quatro dias sem ligações. No entanto, no domingo não havia barco no momento da necessidade, de emergência, embora se tenha feito a evacuação numa pequena embarcação de pesca sem dignidade nenhuma”, declarou.

O apelo da câmara municipal, salientou, é uma vez mais se resolver definitivamente essa questão porque, sustentou, é perda de tempo demais estar repetidamente a falar de problemas de transportes que afectam a Brava.

“O quadro geral dos transportes quando a CV Interilhas tem todas as embarcações operacionais é muito bom para a Brava, já tinha dito isto em outro período, mas com os três barcos avariados, o quadro para a Brava tornou-se crítico, porque, para além de se conseguir manter três viagens semanais para a Brava, o barco deixou de permanecer na ilha e nós não temos outras possibilidades de evacuação em casos de emergências”, acrescentou.

Reconheceu, no entanto, as melhorias registadas a nível da prestação dos cuidados de saúde, de equipamentos e aumento técnico, tendo frisado que o Centro de Saúde da Brava depende em muitos casos do hospital regional do Fogo, dai a necessidade, segundo o autarca, de se encontrar uma solução de ligação Brava – Fogo e Fogo- Brava.

Informou, por outro lado, que a autarquia local tem mobilizado contactos com o sector privado na possibilidade de trazer barcos com condições para transportar passageiros, apelando ao engajamento de todos nesta matéria.

“Tem havido muita burocracia (…). Só agora é que se emitiu uma autorização do ex proprietário para trazer este barco a Cabo Verde, que será então submetido a vistoria e todo o processo de licenciamento e espero que isso aconteça o mais rápido possível e que o barco garanta as condições de navegabilidade e segurança e seja colocado então nessa linha”, afirmou, lembrando, entretanto, que a actuaçao da câmara para a resolução dos problemas dos transportes marítimos é muito limitada.

Foi noticiado na segunda-feira que o adolescente, que respondia pelo nome de Djonny, acabou por falecer no Hospital Regional do Fogo, depois do bote de pesca em que estava a ser transferido, no domingo, dia 31 de Julho, da Brava ter avariado a meio do caminho.

CM/JMV
Inforpress/Fim.

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos