Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Brava: Pescador assassinado com golpe no pescoço nos ilhéus Rombos revolta bravenses (CORRECÇÃO)

Nova Sintra, 27 Jun (Inforpress) – Um jovem pescador de 21 anos da localidade de Furna, na ilha Brava, terá, supostamente, assassinado o seu colega de 59 anos, na noite de sexta-feira, com uma chave de fenda, no ilhéu Grande, acto que deixou revoltada a população da pacata ilha.

Segundo o comandante da Esquadra Policial da Brava, Higor Almeida, ontem, por volta das 19:40 minutos receberam uma chamada através da linha de emergência 132, informando que no Ilhéu Grande, um jovem teria agredido um senhor e este se encontrava em estava grave.

A mesma fonte avançou que a partir da primeira chamada, várias informações começaram a chegar, uns informando que a vítima teria falecido e outros dizendo o contrário.

Entretanto, sublinhou que por volta das 20:00 houve a confirmação de que a vítima teria falecido e de seguida foram feitas todas as diligências, informando as demais autoridades locais, onde por volta das 21:25 o grupo saiu do porto da Furna com rumo ao local do sucedido tendo regressado por volta das 23:30.

Higor Almeida avançou que, de acordo com informações recebidas do subchefe António Moreira, supostamente a arma do crime pode ter sido uma chave de fenda, uma vez que foi encontrado ao lado do corpo da vítima e este apresentava um orifício no lado esquerdo do pescoço.

Conforme a mesma fonte, o corpo da vítima será enviado à ilha do Fogo para a realização de uma autópsia e quanto ao suposto homicida, estão a ser feitas as diligências para ser apresentado ainda hoje ao Ministério Público.

Estes pescadores, conforme informações de fontes oficiais, encontravam-se no ilhéu para a faina.

Entretanto, o decreto-lei de 24 de Fevereiro de 2003, que estabelece o regime jurídico dos espaços naturais, paisagens, monumentos e lugares que, pela sua relevância para a biodiversidade, pelos seus recursos naturais, função ecológica, interesse socioeconómico, cultural, turístico ou estratégico, merecem uma protecção especial e integrar-se na Rede Nacional das Áreas Protegidas, proíbe os pescadores de permanecerem nas imediações dos ilhéus Rombos.

Os pescadores têm feito várias contestações à esta lei, alegando que esta área é a “maior fonte de riqueza” que eles possuem na ilha.

(SUBSTITUI-SE O NOME DA ARMA BRANCA SUPOSTAMENTE UTILIZADA NO CRIME DE FORMÃO PARA CHAVE DE FENDA)

MC/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos