Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Brava: Organização da manifestação dos trabalhadores alega que não vai desistir mesmo com a fraca participação (c/ áudio)

Nova Sintra, 11 Jan (Inforpress) – Jorge Reverdes, organizador da manifestação nacional que decorreu hoje sábado, adiantou que mesmo com a fraca participação dos bravenses no acto, o Sindicato dos Trabalhadores da Brava não vai desistir.

Em declarações à Inforpress, este ponto focal, que se encontrava na Praça Eugénio Tavares praticamente sozinho, salientou que seguiram todos os trâmites legais para que tal manifestação acontecesse, pois, segundo disse, avisaram que a mesma decorreria hoje até às 11:00, informaram a câmara municipal, a esquadra policial da Brava e os demais elementos.

Mas, mesmo com todas estas diligências, passagem de informação boca-a-boca, considerou que, na Brava, a “adesão a actividades sindicais é um pouco difícil, talvez por medo de represálias por parte das entidades empregadoras e também uma certa descrença quanto às actividades sindicais, que neste caso está a nível nacional”.

Tendo em conta a situação de hoje em que as pessoas praticamente não apareceram, mas que, conforme informou, há várias reclamações de trabalhadores nos seus sectores, realçou que vai entrar em concertação com a União Nacional dos Trabalhadores de Cabo Verde – Central Sindical (UNTC-CS), e realizar algumas campanhas de sensibilização.

“Vamos ver se é possível fazer uma campanha de sensibilização, andando de instituição a instituição, marcar encontros com entidades patronais e trabalhadores, no sentido de fazermos um melhor trabalho e divulgação sindical e ter mais sócios”, disse Jorge Reverdes.

Informou ainda que o Sindicato dos Trabalhadores da Brava tem cerca de um ano de existência e trinta associados de diversos ângulos.

Em relação a queixas ou resoluções de problemas sindicais, avançou que tiveram alguns casos que já vinham a arrastar há muito tempo, mas quando foram contactados, conseguiram resolve-los com um desfecho “positivo” tanto pelos lesados como pelas entidades patronais.

Tendo em conta a situação deparada hoje, Jorge Reverdes apela a uma maior participação por parte dos associados, mas também pede a inscrição de novos membros, pois, defendeu que ao sindicalizarem-se só têm a ganhar, justificando que os seus direitos estão sempre salvaguardados e além disso, são informados de ganhos que podem ter e uma mente mais aberta em relação às questões laborais.

De realçar que a manifestação pacífica a nível nacional foi organizada pela União Nacional dos Trabalhadores de Cabo Verde – Central Sindical (UNTC-CS) e na Brava decorreu a partir das 10:30 no largo da Praça Eugénio Tavares.

MC/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos