Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Brava: Obras do mercado de peixe já foram retomadas – edil

Nova Sintra, 05 Fev (Inforpress) – O presidente da Câmara Municipal da Brava informou hoje que as obras do mercado de peixe na Vila de Nova Sintra já foram retomadas, após um período de interrupção.

Francisco Tavares falava à imprensa, à margem das actividades realizadas na freguesia de Nossa Senhora do Monte, para comemorar o Dia Nacional dos Pescadores, onde, além de palestras, foram passadas algumas informações sobre os projectos e investimentos em curso nesta área.

Conforme explicou o edil, na Brava a pesca representa uma das principais actividades económicas e de sustento para grande parte da população e para a economia da ilha.

Sendo assim, realçou que em parceria com outras instituições, decidiram marcar esta data para proporcionar aos pescadores momentos de convívio e de informações “importantes” para a área.

Questionado sobre as obras do mercado, este informou que os trabalhos já foram retomados e neste momento estão a trabalhar na cobertura para prosseguir com a colocação de janelas, portas, pinturas, azulejos e mosaicos e posteriormente a colocação de mesas e balcões.

Além de informações sobre as actividades e investimentos em curso, houve espaço para duas palestras, onde a primeira foi ministrada pelo delegado do Instituto Marítimo e Portuário, Marino Rodrigues, que falou sobre a

“Segurança no mar”, alertando os pescadores sobre a importância da prevenção, preparação e dos equipamentos na pesca.

A segunda palestra foi proferida pelo biólogo da associação Biflores, Gelson Monteiro, que debruçou sobre o tema “Gestão e sustentabilidade dos recursos marinhos”, aproveitando o momento para “refrescar” alguns conceitos e normas que, segundo o mesmo, os pescadores já conhecem, no que tange às leis.

Segundo a mesma fonte, é “importante” que a classe esteja sempre informada e munida de conhecimentos, pois, “só assim poderão contribuir para uma pesca sustentável na ilha”.

O biólogo acentuou que um dos pontos que considera “importantíssimo” para a classe e que foi falado na apresentação tem a ver com pesca de tubarão e das espécies que são totalmente proibidas, assim como esclarecimentos sobre os acordos de cooperação.

“Falei sobre os acordos internacionais celebrados entre o Governo com a China, Japão, União Europeia, que muitas vezes gera alguma polémica no seio dos pescadores que não conseguem interpretar da melhor forma a importância destes”, disse a mesma fonte.

Por seu turno, João Cardoso, pescador da localidade de Furna, em representação a classe, realçou que esteve atento às informações que foram transmitidas, mas que é preciso que a classe seja vista de uma forma mais positiva.

“Sabemos que todos os sectores no País estão a desenvolver-se, desde a agricultura, mas a pesca mantém-se no mesmo patamar”, observou o pescador, acentuando que estão a ser criadas leis, mas os pescadores não estão a ter avanços.

“É preciso valorizar os pescadores porque, realmente, há muitos engenheiros, mas os pescadores são os verdadeiros engenheiros do mar”, apontou.

Sobre as dificuldades que os pescadores estão a enfrentar, elencou a necessidade de capturar iscas vivas, para terem mais sucesso na faina, assim como a reactivação dos faróis, sublinhando que estes estão a fazer “muita falta” aos pescadores.

MC/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos