Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Brava: Obras de instalação da dessalinizadora de Forte Furna deverão iniciar-se em Junho (RECTIFICADA)

Nova Sintra, 11 Fev (Inforpress)  O presidente da Câmara Municipal da Brava, Francisco Tavares, avançou hoje que as obras de instalação da dessalinizadora na localidade de Forte Furna estão previstas para se iniciarem no próximo mês de Junho.

Em declarações à Inforpress, Francisco Tavares explicou que esta obra já deveria ter arrancado, mas que com os estudos prévios, verificou-se a necessidade de construir um troço de estrada até ao local.

Mas, segundo o edil , os estudos já foram encerrados e a Cooperação Luxemburguesa, que é a financiadora desta unidade, já tem montada quase que toda a estrutura financeira para este custo adicional.

Daí, sublinhou que antes de Junho a estrada de acesso estará pronta e que no segundo semestre de 2021 será a fase da montagem da unidade dessalinizadora propriamente dita, fazendo com que 2022 seja o ano para estar em “pleno funcionamento”.

Sobre o projecto de dessalinização menor da água na localidade de Furna, cuja obra foi embargada, o edil informou que teve contacto com o advogado da empresa Águabrava, informando-lhe que o Tribunal já marcou uma primeira audiência.

Realçou que a Águabrava e a câmara municipal estão dispostas a chegarem a um acordo com a outra parte para desbloquear este processo.

Mas para isso, acentuou que o processo passa por quem embargou a obra provar que realmente o terreno lhe pertence, porque não se pode indemnizar uma pessoa por um terreno que está em nome de uma outra.

“Existe uma total abertura em quem provar realmente ser proprietário ser indemnizado, porque queremos é desbloquear o processo”, sublinhou.

Até porque, relembrou, se não tivesse tido esse processo de embargo da obra, neste momento a ilha já teria a sua primeira unidade dessalinizadora a funcionar há mais de seis meses e libertando 100 toneladas de água por dia para a distribuição nas outras localidades.

De realçar que em 2019, o ministro da Agricultura e Ambiente , que se encontrava de visita à ilha, em declarações à imprensa, avançou que esta unidade terá uma capacidade de produção de 600 metros cúbicos dia, será uma dessalinzadora híbrida, que funcionará “essencialmente” com energia solar, para fazer baixar os custos.

Gilberto Silva disse na altura que a dessalinzadora terá duas estações de bombagem, até o reservatório de Monte Vermelho, e a partir daí, entrar na rede de distribuição existente e resolver o problema da água.

O projecto está orçado em cerca de 260 mil contos, financiado pela Cooperação Luxemburguesa, no quadro do Programa Indicativo de Cooperação IV (PIC IV), que inclui como sector de intervenção a água e saneamento e estende-se ainda às energias renováveis.

(RECTIFICA-SE, SUBSTITUINDO O NOME DA LOCALIDADE DE ESPADINHA POR FORTE DE FURNA NO TÍTULO LEAD)

MC/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos