Brava: Novo director da Biflores pretende trabalhar na conservação e preservação ao lado do desenvolvimento local (c/áudio)

Nova Sintra, 03 Nov (Inforpress) – O novo director da associação ambiental Biflores ~traçou hoje como objectivo trabalhar na conservação e preservação da natureza, mas integrando os objectivos do desenvolvimento local.

Dheeraj Jayant assumiu a gestão da Biflores há pouco mais de um mês, em substituição da antiga directora, Cristina Coletto, e em entrevista à Inforpress destacou que o seu foco na organização é trabalhar para a natureza, de mãos dadas com os objectivo do desenvolvimento da ilha.

O novo director que é indiano, explicou que vai dar continuidade ao trabalho que a associação vinha fazendo, mas sem deixar de fora a questão dos objectivos do desenvolvimento local.

“É a primeira organização que trabalha com as plantas endémicas aqui, mas ao mesmo tempo trabalha com projectos marinhos”, disse a mesma fonte, realçando que estão a desenvolver projectos em paralelos com o desenvolvimento da Brava, porque, assinalou, não se pode separar o desenvolvimento da conservação e vice-versa.

Em relação aos desafios, indicou que um mês à frente da organização deu para perceber que os problemas não têm sido diferentes das outras instituições e de toda a sociedade bravense, destacando a problemática e a irregularidade dos transportes de ligação de e para ilha, que dificulta muitas vezes a organização de actividades.

Mas, avançou que tem vindo a tentar driblar esta situação, programando com antecedência, mas deixando sempre em aberto a possibilidade de alterações em cima da hora.

A equipa na qual se encontra inserida é pequena, mas o responsável, único estrangeiro que faz parte da organização ambiental, sublinhou ter dificuldades em recrutar colaboradores, devido à questão do isolamento da ilha.

Neste momento, destacou que pretende trabalhar também no crescimento da sua equipa e ver profissionais que possam dar um contributo para o desenvolvimento da ilha.

Indicou que a falta de pesquisas científicas na ilha faz com que haja poucos registos sobre a natureza bravense, mesmo tendo “muito potencial” a nível ambiental.

A Biflores é uma associação de conservação da biodiversidade, sediada na ilha Brava, e tem como finalidade a protecção e conservação dos ecossistemas marinhos e terrestres, da sua biodiversidade e dos recursos naturais, bem como fomentar o envolvimento e o desenvolvimento sustentável da comunidade na ilha.

MC/JMV

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos