Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Brava: Ilha já conta com o seu Comité Local de Gestão e Reclamações

Nova Sintra, 24 Fev (Inforpress) – A ilha Brava já dispõe do seu Comité Local de Gestão e Reclamações que vai trabalhar conjuntamente com a UGPE e os parceiros nacionais na execução dos projectos para que a implementação dos mesmos seja “efectiva”.

Este comité foi criado na tarde desta quarta-feira, após uma apresentação, por parte da Unidade de Gestão de Projectos Especiais (UGPE) do Ministério das Finanças, dos mecanismos de gestão de reclamações da unidade, assim como a socialização dos projectos da Inclusão Social e o do Reforço da Educação e Desenvolvimento de Competências.

Em declarações à imprensa, Larissa Varela, especialista ambiental e social da UGPE, explicou que a sua missão à ilha Brava se enquadra no âmbito do “reforço” dos mecanismos de gestão de reclamação nos projectos dos investimentos financiados pelo Banco Mundial em Cabo Verde.

Referindo-se ao projecto da Inclusão Social e o do Reforço da Educação, a mesma fonte sublinhou que a UGPE tem por função “garantir o envolvimento” de todas as partes interessadas e a divulgação da informação sobre os projectos para todos os parceiros.

“Neste âmbito, é desenvolvido um mecanismo que permite o reforço da cidadania e da participação de quem está a ser beneficiado ou prejudicado, ou de quem possui alguma influência sobre a execução do projecto”, explicou.

Segundo a mesma fonte, estas partes têm o direito de manifestar, efectuar reclamações, solicitar informações, ou mesmo fazer uma denúncia, que “devem ser respondidos de forma clara, eficaz e em tempo oportuno”.

Concebido o comité local, a especialista indicou que este passa a “admitir as reclamações, trabalhar no seu tratamento e também reportar juntamente com a UGPE e os parceiros nacionais de execução do projecto todas as reclamações que poderão surgir no âmbito da execução destes dois projectos”.

Por seu turno, o presidente da Câmara Municipal da Brava, Francisco Tavares, considerou o encontro como sendo “muito proveitoso”, principalmente nesta altura que se está na fase da implementação destes dois projectos.

“É importante que este instrumento de gestão de reclamações funcione e funcione bem, para a análise das reclamações”, disse o edil.

Conforme justificou, o comité faz com que todos os actores, todos os envolvidos no projecto e o público-alvo, tenham mais e melhores conhecimentos dos programas, projectos e as informações.

“Obriga que cada actor esteja mais ciente das suas obrigações em cada etapa e em cada função, o que vai fazer as coisas funcionar melhor, com mais transparência e com mais consciência social dos objectivos e das metas dos referidos projectos”, enfatizou o autarca.

Adiantou que os financiadores internacionais, nestes dois casos o Banco Mundial e o Banco Africano de Desenvolvimento, assim como o Governo Central, terão pontos e comités locais que estão a implementar no terreno estes projectos, permitindo-lhes ter o feedback necessário para “aprimorar” onde a implementação do projecto não esteja a correr bem ou chamar a atenção ao longo de cada etapa para melhorar naquilo que for possível.

O comité local inclui membros da câmara municipal, delegação escolar, delegacia de saúde, Cruz Vermelha, Igreja Nazareno, associações locais de Lém e Pau, Instituto Cabo-verdiano da Criança e do Adolescente (ICCA) e a delegação do Ministério das Finanças.

MC/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos