Brava: IEFP reúne-se com formandos para orientá-los sobre a nova plataforma de estágios

Nova Sintra, 24 Mai (Inforpress) – A técnica do IEFP- Fogo, Anilda Teixeira, reuniu-se hoje com os jovens formados na área de Cozinha e Atendimento ao Público, com o objectivo de orientar os candidatos ao primeiro emprego sobre a nova plataforma PEPE-IEFP e ajudá-los a encontrar um local de estágio.

Em declarações à imprensa, Anilda Teixeira, coordenadora da área de Emprego, Empreendedorismo e Estágio Profissional do Centro de Emprego e Formação Profissional do Fogo (IEFP), explicou que actualmente qualquer pedido de estágio profissional tem de ser através desta plataforma e há jovens formados que ainda não conseguiram fazer os seus estágios.

No encontro, a técnica deu aos formandos algumas orientações, realçando que até o final deste ano, o IEFP tem disponíveis 18 vagas para a ilha Brava, no âmbito da realização de estágios profissionais, embora a maioria seja direcionada para a área da cozinha.

Quanto aos que já fizeram o estágio profissional, sublinhou que agora vão procurar emprego e que o IEFP vai fazer a mediação junto das entidades bravenses para ver a disponibilidade de vagas de emprego para estes jovens, indicando que na ilha do Fogo existe um déficit de jovens formados na área de cozinha.

Daí, prosseguiu, está-se a analisar a disponibilidade destes formandos para se deslocarem à ilha do Fogo no sentido de realizarem um estágio profissional ou mesmo conseguir um emprego.

Ainda nesta missão à Brava, nesta terça-feira, 25, a responsável vai se reunir com algumas empresas e entidades na ilha para lhes informar da nova plataforma, uma vez que devem fazer o registo das ofertas de estágio para que os jovens possam ter acesso e assim apresentar as suas candidaturas.

Por seu turno, Ildebrande Baptista, uma jovem formada em Atendimento ao Público contou que fez o estágio profissional e conseguiu emprego mesmo antes de ter conhecimento desta plataforma, mas que a formação fez “toda diferença” em sua vida profissional e mesmo a nível pessoal, porque os erros que cometia ao atender um cliente anteriormente já não se repetem agora, o que reflecte no seu desempenho profissional e pessoal.

Igualmente, Ana Andrade, formada na área de cozinha teve a sorte de conseguir um estágio profissional e já se encontra empregada, fazendo uma avaliação “muito positiva” desta formação que, sublinhou, veio acrescentar mais conhecimentos além dos que já tinha adquirido com outros funcionários com quem já trabalhava antes de se formar.

Mas, Roosevelt Andrade, também um formando na área de cozinha, ainda não conseguiu fazer estágio profissional, embora afirme que ainda não perdeu a esperança.

Segundo a mesma fonte é uma área “muito importante” e diz estar confiante de que dias melhores virão, embora tenha destacado que na Brava “existe uma certa exploração da mão-de-obra dos jovens formados”, o que muitas vezes “desmoraliza” os jovens.

Quanto à opcção apresentada pela técnica do IEFP sobre a deslocação à ilha do Fogo, este jovem sublinhou que é uma proposta a pensar, mas que isto implica novas iniciativas e decisões, por envolver outras questões, nomeadamente a família.

Este encontro mereceu “nota positiva” dos formados que participaram, acreditando que é “uma luz no fundo do túnel” para aqueles que ainda não conseguiram estágio ou não estão empregados.

MC/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos