Brava: Grupo de alunos finaliza “com sucesso” formação em poesia e literatura

Nova Sintra, 17 Jun (Inforpress) – Um grupo de dez alunos do 9º ao 11º ano da Escola Secundária Eugénio Tavares finalizou hoje, “com sucesso”, uma formação de teoria, poesia e literatura, ministrada por Félix Lopes, durante três dias.

Em declarações à Inforpress, o formador explicou que veio ministrar esta formação a convite da organização não-governamental Italiana (Cospe), com o objectivo de capacitar os alunos na teoria da poesia e literatura que são conteúdos que leccionam no 9º e no 11º ano, dotando-lhes assim de mais conhecimentos para que quando vierem falar desses conteúdos já terão um pouco de conhecimento na área.

Segundo a mesma fonte, ao longo desses dias ficou “entusiasmado” com o interesse demonstrado pelos alunos, o que fez com que a formação ocorresse como o planeado no início.

E o resultado daquilo que se falou ao longo dos três dias foi apresentado num trabalho, onde cada um apresentou um poema da sua própria autoria.

Sendo a ilha Brava o berço do poeta Eugénio Tavares, Félix Lopes considerou que é um ambiente propício para falar da poesia e literatura, destacando que a ilha possui uma “grande importância” na dimensão literária e poética do país, apresentada através dos seus poetas, entre os quais destacou Eugénio Tavares, desejando que a juventude perceba isso e no futuro possa surgir novos poetas e escritores.

Por seu turno, os alunos também fizeram um “balanço positivo” desta acção de formação, tendo em conta os conteúdos que aprenderam e o despertar do interesse para as áreas literárias e poéticas.

Sabrina Andrade, uma das alunas recém-formadas, contou que aprendeu muitas coisas que não tinha conhecimento e como sempre gostou de escrever poemas vai tentar dedicar ao máximo e trabalhar este “dom” que considera ter.

A mesma aluna realçou que formações do tipo deveriam ser replicadas e caso tivessem oportunidade os próprios recém-formados teriam disponibilidade em partilhar com os demais interessados o que aprenderam, pois segundo a mesma, muitas vezes há alunos que possuem este dom, mas por não ter conhecimento das técnicas ou de como proceder acabam por “sufocar” o dom e não o trabalhar para o caminho do desenvolvimento.

MC/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos