Brava: Festeiros de Nha Santana de Mato lamentam circunstâncias em que a Bandeira foi festejada

Nova Sintra, 26 Jul (Inforpress) – O membro da associação da localidade de Mato, na Brava, Aida Cardoso, que teve a responsabilidade de celebrar mais um ano a festa de Nha Santana de Mato, lamentou hoje a forma como a Bandeira foi festejada este ano devido à pandemia.

Em declarações à Inforpress, a porta-voz do grupo acentuou, mesmo a participação na celebração eucarística teve uma característica diferente, porque, conforme explicou, é da práxis ter a igreja da freguesia de Nossa Senhora do Monte com um bom número de fiéis de todas as localidades da ilha, além dos emigrantes que participam nesta festa.

Contou que na Brava, mais propriamente na localidade de Mato, há um grupo organizado para festejar esta Bandeira, mas que há um outro grupo nos Estados Unidos que financia todos os anos.

Para este ano, em particular, Aida Cardoso avançou não foi realizada nenhuma actividade seja ela desportiva, cultural, a não ser o cumprir da tradição com o “pilon” e as vésperas, mas com um número restrito de pessoas, como uma forma de manter a tradição.

Hoje levaram a Bandeira para a igreja e depois voltaram a levá-la para a casa de Santana no Mato.

“Como é uma Bandeira que temos muita fé com ela, pedimos a Deus que no próximo ano esta pandemia de covid-19 já esteja controlada para festejarmos com toda a pujança que o momento merece”, finalizou a festeira.

Por seu turno, Ana Barro, uma moradora e festeira da localidade, sublinhou que este ano é preciso “confortar e pedir paciência” porque todos já sabem que não é somente a ilha, mas que o mundo inteiro se encontra “triste”.

E para o próximo ano, diz esperar que Deus tenha compaixão dos cristãos para poderem retomar a vida normal e as festas de Bandeira.

MC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos