Brava: EMPROFAC considera a Certificação ISO 9001:2015 o “culminar” de um processo

Nova Sintra, 20 Mai (Inforpress) – O presidente do Conselho da Administração da Empresa Nacional de Produtos Farmacêuticos (EMPROFAC), Fernando Gil Évora, considerou a Certificação ISO 9001:2015 como sendo o “culminar” de um processo.

Em entrevista à Inforpress, este responsável realçou que receber uma certificação de IS0 9001:2015 “é sempre um orgulho” para qualquer empresa em Cabo Verde.

No caso da EMPROFAC explicou que foi o culminar de todo um processo trabalhado não só neste Conselho de Administração, mas também no anterior, que durou cerca de cinco anos a ser preparado e que serviu para melhorar o Sistema de Gestão de Qualidade, e, como resultado, a empresa foi auditada em todas as áreas.

“Fomos auditados desde a importação, exportação, distribuição, comercialização e logística de medicamentos, o que significa que neste momento o Sistema de Gestão de Qualidade em todas estas áreas encontra-se controlado internacionalmente”, adiantou Fernando Gil Évora.

Além da “satisfação” em receber esta Certificação, a mesma fonte reforçou que também “o mais importante é conseguir manter” estes níveis de ISO 9001:2015, acrescentando que a partir de agora, as responsabilidades da EMPROFAC vão ser maiores.

Ou seja, enfatizou que a partir de agora, vão ter de seguir todos os padrões de Gestão de Qualidade, para não correr o risco de um dia perder esta certificação.

Conforme nota de imprensa enviada à Inforpress, a EMPROFAC recebeu da APCER, no passado dia 13 de Maio, um certificado reconhecido pela IQNet, que reconhece que a empresa “implementou e mantém um Sistema de Gestão da Qualidade para o escopo da importação, comercialização, armazenamento e distribuição de medicamentos, produtos farmacêuticos e outros que atendam aos requisitos da norma ISO 9001:2015”.

De acordo com o documento, a ISO 9001 é a norma de sistemas de gestão mais utilizada mundialmente, sendo a referência internacional para a Certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade, que adopta uma abordagem por processos, que incorpora o ciclo PDCA (Plan-Do-Check-Action), de melhoria contínua e integra o pensamento baseado em risco e padronização.

A mesma fonte realça ainda que o objectivo da norma é “trazer confiança ao cliente de que os produtos e serviços da empresa serão concebidos e entregues de forma consistente, a fim de garantir a qualidade que foi proposta pela empresa”.

MC/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos