Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Brava: Director da Escola Secundária Eugénio Tavares defende luta “incessante” contra uso abusivo do álcool

Nova Sintra, 30 Out (Inforpress) –  O director da Escola Secundária Eugénio Tavares (ESET), David Pascoal, defendeu hoje que a luta contra o uso e o consumo abusivo do álcool é uma luta “incessante” e que deve ser focada na questão da educação.

O responsável fez estas considerações em entrevista à Inforpress, no âmbito da realização de uma campanha de sensibilização feita pelos embaixadores da campanha “menos álcool, mais vida” dentro da programação do primeiro aniversário da nova lei do álcool, aprovada em Outubro de 2019.

Segundo este responsável somente a lei “não vai resolver” o problema do álcool, mas entende que é mais um “reforço legal” cujas restrições e proibições “podem ajudar no combate a esta problemática”.

O director defendeu que esta campanha deve ser feita, não somente na escola onde os alunos se encontram, de acordo com as estatísticas e os estudos “na fase de experimentação”, mas também, em toda a sociedade civil.

“Toda a sensibilização ainda é insuficiente na questão do álcool porque o álcool está à disposição de qualquer adolescente mesmo dentro das suas casas. Basta abrirem o frigorífico ou o armário para depararem com alguma bebida”, disse David Pascoal reforçando que esta luta deve ser “incessante e todos os dias”.

Por seu turno, Simão Borges, embaixador da campanha na Brava explicou que hoje fizeram somente a entrega de panfletos e alguma sensibilização limitada, devido à situação vivida na ilha e em todo o mundo, provocada pela pandemia da covid-19.

Não só abordaram os alunos, mas toda a comunidade educativa afecta à ESET com a esperança de que sejam mensageiros e que repassem esta informação em qualquer meio que estiverem incluídos além do recinto escolar.

Para os alunos, sublinhou que estão a insistir na tecla “não experimentar”, pois considerou que estes se encontram na fase da descoberta pelo que torna-se necessário “primar e reforçar” sempre esta mensagem.

Os alunos demonstraram que estão cientes dos problemas causados pelo uso abusivo do álcool, não só nos estudos, mas também na vida social e familiar.

MC/HF

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos