Brava: Consultora vê criação de associação de mulheres uma alternativa para resolver os problemas da classe

Nova Sintra, 19 Mai (Inforpress) – Gisseila Garcia, consultora de Género da organização não-governamental italiana cospe considerou hoje que a criação de uma associação de mulheres bravenses é uma alternativa para a resolução dos problemas da classe.

A consultora falava à Inforpress, no final de um encontro que teve com um grupo de mulheres que se tem reunido para discutir os problemas da classe e as possíveis soluções, de onde surgiu a ideia de criar e oficializar uma associação.

“É sempre bom ter um colectivo de mulheres, uma vez que fortalece tanto dentro do grupo, e permite fortalecer outras mulheres e comunidade no geral”, disse a mesma fonte, considerando esta iniciativa “muito louvável”, tendo em conta que a “Brava é uma ilha invisibilizada, as demandas também são muitas invisibilizadas”.

Ao criar a associação, Gisseila Garcia defende que a voz das mulheres é mais alta e passam a ser ouvidas, assim como as suas demandas, com o intuito de gerar a mudança social que estas pretendem.

Segundo a consultora, a Cospe trabalha com diversos projecto, entre eles o Projecto Pessoas que trabalha com três frentes de intervenção, na ilha do Fogo e na Brava, sendo o público-alvo jovens e adolescentes do liceu, reclusos e ex-reclusos, mulheres, destacando que o foco é trabalhar no empoderamento destes três grupos.

“Estas mulheres já se encontraram algumas vezes, onde os encontros serviram para identificar os maiores problemas, as demandas e algumas possíveis soluções para estes problemas”, destacou.

A vinda à Brava, realçou, é no sentido de acelerar o processo de formalização da associação, onde pretendem trabalhar no empoderamento de outras mulheres e jovens e fazer uma “transformação” nas comunidades.

Por seu turno, Daniela Silva, mobilizadora do Projecto Pessoas explicou que o projecto vai apoiar estas mulheres a formalizar a associação, oferecendo-lhes os instrumentos necessários, porque segundo a análise feita na ilha as mulheres identificaram um conjunto de problemas e as possíveis soluções onde o empoderamento será a chave para resolver estes problemas.

Segundo a mobilizadora, formar as mulheres do grupo e estas replicar as formações nas comunidades e em diversas áreas é um dos caminhos apontados para o empoderamento, assim como a elaboração de projectos para pequenos negócios.

E a estas mulheres, Daniela Silva garantiu que o Projecto Pessoas vai apoiá-las nas questões jurídicas, registo da associação, criação de um estatuto, um nome para a associação, e na divulgação da mesma para depois criarem projectos.

MC/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos