Brava: Comunidades prognosticam “salto qualitativo” com formação e disponibilização de kits

Nova Sintra, 03 Dez (Inforpress) – Os beneficiários do Projecto I da Rede de Emprego e Empregabilidade da Brava consideram que a chegada à ilha dos kits é mais um passo para concretizar o sonho de “transformar e dar novo impulso” às suas comunidades.

Os mesmos reafirmaram que lutaram “muito” por isso e que agora estão a aguardar pela remodelação dos espaços para colocarem em prática o que aprenderam nas acções para a transformação e conservação do pescado.

Em declarações à Inforpress, a porta-voz do grupo, Sónia Baptista, disse que participaram em diversas acções de formação neste âmbito e agora, na recta final, o que querem é ver os espaços reabilitados e com condições favoráveis para a montagem dos kits.

Isto porque, continuou, desde o início depositaram “todos os esforços” e deram “o máximo” para a materialização do projecto de transformação do pescado nas localidades de Fajã d´Água, Furna e Lomba Tantum.

“Vamos trabalhar nas nossas comunidades e, se aparecerem jovens que queiram trabalhar connosco, arranjamos meios de enquadrá-los para podermos trabalhar unidos e engajados para levantar e dar um novo impulso à nossa comunidade”, finalizou.

O coordenador da rede, Mário Soares, por seu lado, declarou que os kits estão avaliados em mais de 2 milhões de escudos, enquadrado no programa CVE/081, da Cooperação Luxemburguesa, com o objectivo de criar condições para “impulsionar o empoderamento das famílias” e “dinamizar a economia local”, num sector em que a ilha possui “muito potencial”.

Sobre a montagem e a reabilitação dos espaços, a mesma fonte avançou que se está a dar passos nesse sentido, sublinhando que ainda “não houve resposta” das solicitações junto de instituições para o financiamento das obras.

Daí, apontou, a Câmara Municipal da Brava está a trabalhar no orçamento para o ano económico 2021, e caso for aprovado pela Assembleia Municipal, cuja sessão se realiza ainda no mês de Dezembro, será estudada a possibilidade de utilizar recursos próprios para a reabilitação dos espaços.

Após a reabilitação dos espaços, a mesma fonte informou que virá um técnico para o processo de montagem e orientar os beneficiários, que vão ter a oportunidade de participar em mais uma acção de capacitação voltado para a qualidade do produto, visando a certificação através do selo de qualidade

MC/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos