Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Brava: Câmara garante que nenhuma família desfavorecida e vulnerável do município fica sem apoio

Nova Sintra, 10 Abr (Inforpress) –  O presidente da Câmara Municipal da Brava, Francisco Tavares, asseverou à Inforpress que nenhuma família desfavorecida na ilha vai ficar de fora e sem os apoios necessários neste momento de confinamento, devido a covid-19.

O responsável avançou que até este momento a autarquia já alcançou 362 famílias, num total de 1466 pessoas, na distribuição das cestas básicas, e a partir da próxima segunda-feira, 13, contemplará mais 50 famílias que necessitam do apoio.

Assim sendo, acentuou que vão atingir um total de cerca de 400 famílias e cerca de 1600 pessoas, o que representa cerca de 25 por cento (%) da população bravense.

Francisco Tavares informou ainda que os alimentos das cestas básicas foram disponibilizados à Câmara Municipal da Brava pela Fundação Cabo-verdiana de Acção Social Escolar (Ficase), via delegação escolar da ilha, por parte do Ministério da Inclusão Social.

Entretanto, o autarca realçou que pelos números dos contemplados, a autarquia também teve de injectar dinheiro para aquisição de outros alimentos que compõe as cestas.

A preparação e distribuição das cestas básicas foi feita por uma equipa da delegação escolar, câmara municipal, igrejas e pessoas individuais que quiseram prestar o seu apoio.

Com os resultados já atingidos, Francisco Tavares garantiu que, na Brava, “nenhuma família, realmente carenciada, ficará sem assistência alimentar” desde que tenham conhecimento.

Pois, segundo o mesmo, vão continuar a recolher informações de casos pontuais de famílias que ainda possuem necessidades, mas que não se encontram na lista do Cadastro Social Único por algum motivo ou a maioria, conforme o mesmo, não foi cadastrada.

Para além das cestas básicas, relembrou que há também os apoios oriundos do Rendimento Social da Inclusão e do Rendimento Social Solidário, destinados às pessoas do sector informal.

Francisco Tavares diz estar esperançado que até o início da próxima semana entrará na conta destas pessoas o valor de 10 mil escudos, conforme medidas tomadas pelo Governo.

Além destas medidas e apoios que estão ser canalizados às famílias, Francisco Tavares realçou que na Brava a comunidade emigrada apoia “muito os familiares”, salientando que “basta ver que, mesmo com o estado de emergência, a afluência aos bancos, para levantamento de remessas vindo do exterior, é enorme”.

MC/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos