Brava: Bravenses organizam marcha silenciosa em memória de Giovani Rodrigues

Nova Sintra, 09 Jan (Inforpress)  – A jovem Amélia Maguy Veiga está a organizar a marcha silenciosa na ilha Brava, em memória ao jovem Geovani Rodrigues, no sábado, 11, como forma de demonstrar “solidariedade” aos familiares.

Amélia Maguy Veiga explicou que ao seguir as redes sociais e tendo visto que em quase toda a parte do mundo onde há cabo-verdianos, e não só, as pessoas estão a movimentar e a demonstrar solidariedade para com a família do Giovani Rodrigues, mas na Brava não estava a ver nada.

Sendo assim, decidiu fazer uma publicação para ver o interesse das pessoas, e por ter experiência em algumas actividades sociais, resolveu não deixar este dia passar em branco.

A promotora contou que com a publicação viu que os bravenses estavam somente a aguardar para uma pessoa tomar esta iniciativa, pois realçou que logo que a fez o post recebeu dezenas de comentários a apoiar a iniciativa e a confirmar presença no dia 11.

“Esta é uma forma de demonstrar a família do Giovani que a população da Brava está solidária e que a dor que estão a sentir não é restringida somente a eles, mas também de todos, pois ele não era apenas um cidadão do Fogo, mas sim um cabo-verdiano”, enfatizou a mesma fonte.

Amélia Maguy Veiga solicitou que o traje seja branco “obrigatório” e uma vela para a marcha que vai partir as 18:30 na Cabeça de Avenida, contornar a Praça até Cruz Grande, seguir para Cruz das Almas até a escola Senna Barcelos e finalizar na Praça Eugénio Tavares.

Luís Giovani dos Santos Rodrigues, 21 anos, natural dos Mosteiros, ilha do Fogo, morreu em 31 de Dezembro de 2019 no Hospital de Santo António, no Porto, Portugal, depois de ter sido espancado alegadamente por um grupo de indivíduos na cidade transmontana de Bragança, no passado dia 21 de Dezembro.

MC/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos