Brava: Biflores focada na realização de formações para trabalhar na protecção da biodiversidade marinha – biólogo

Nova Sintra, 12 Ago (Inforpress) – O responsável pelos projectos marinhos da associação Biflores, Gelson Monteiro disse hoje que estão focados na formação das comunidades piscatórias para a preservação da biodiversidade marinha da ilha.

Em entrevista à Inforpress, Gelson Monteiro falou de alguns projectos marinhos em andamento e outros que ainda estão por implementar até Outubro do corrente ano, reforçando que todas estas acções possuem como fim último “preservar e proteger a biodiversidade marinha da Brava”.

Segundo a mesma fonte, neste momento estão a trabalhar no projecto guardiões do mar, envolvendo os pescadores e as três comunidades piscatórias da ilha, Furna, Fajã d´Água e Lomba Tantum, mas também tem em andamento, em parceria com a Biosfera, o projecto de pesca sustentável, cujo objectivo é “dar continuidade à promoção do conhecimento da biodiversidade local voltado para o mar”.

Neste último, explicou que serão imprimidos alguns posters com todas as informações dos peixes, desde tamanhos mínimos, época de defeso, entre outras para afixar em murais nas três comunidades piscatórias.

Igualmente, dentro deste mesmo projecto será realizada uma actividade com as peixeiras no mercado municipal, onde serão entregues alguns kits para usarem no dia-a-dia, juntamente com acções de sensibilização em relação aos períodos de defeso das diversas espécies e no mercado, também será afixada uma placa.

Quanto ao projecto guardiões do mar, Gelson Monteiro informou que já foram entregues alguns kits aos pescadores e agora estão a receber algumas acções de capacitação para aprenderem a forma correcta de recolher dados e como proceder durante a pesca.

Entretanto, realçou que a associação pretende capacitá-los em outras áreas, nomeadamente, na reparação de motores, navegação em alto mar e técnicas de captura e mergulho livre, voltado para o turismo subaquático.

Tendo em conta que o objectivo, neste momento, é trabalhar no conhecimento e valorização da biodiversidade marinha, este responsável anunciou ainda a realização de um festival de garoupa, embora ainda não tenha uma data estabelecida, mas que está sendo projectada de forma diferente das outras, onde também serão apresentadas e divulgadas informações sobre esta espécie juntamente com uma campanha de sensibilização.

No quadro das actividades, pretendem estabelecer uma com a Associação de Ecoturismo Cabo-verdiano (ECOCV) para a realização de um workshop sobre a conservação de cetáceos (mamíferos do mar), para que a Biflores possa trabalhar na monitorização destas espécies, nomeadamente, baleias e golfinhos, nos arredores da Brava, pois a ilha não possui nenhuma informação registada sobre os cetáceos.

Segundo a mesma fonte, desde o início do ano a Biflores tem feito lançamento de câmaras subaquáticas para a monitorização dos tubarões, afirmando que já possuem algumas informações desta espécie, mas que vão continuar com este processo até o final do ano de forma a ter informações mais concretas.

Biflores é uma associação de conservação da biodiversidade, sediada na ilha Brava e tem como finalidade a protecção e conservação dos ecossistemas marinhos e terrestres, da sua biodiversidade e dos recursos naturais, bem como fomentar o envolvimento e o desenvolvimento sustentável da comunidade na ilha.

MC/HF

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos