Brava: Autarquia vai subsidiar formação técnicas, profissional e superior a 68 alunos

Nova Sintra, 23 Set (Inforpress) – A Câmara Municipal da Brava vai subsidiar neste novo ano lectivo mais 17 alunos em formações técnicas, profissional e superior, perfazendo assim um total de 68 jovens, além de outros apoios a alunos na ilha.

Esta informação foi avançada à Inforpress pelo vereador responsável pelo Pelouro da Educação e Formação, Mário Soares, explicando que esta atribuição de subsídios decorre anualmente e segue critérios pré-estabelecidos e previamente divulgados juntamente dos alunos e dos estabelecimentos escolares.

Segundo o autarca, neste ano lectivo, 2022/23, a câmara vai subsidiar mais 17 alunos que vão se juntar aos outros que já se encontram neste programa, perfazendo assim um total de 68 estudantes beneficiários, o que vai custar aos cofres da autarquia mensalmente quase 380 mil escudos

“Os dois melhores alunos terão propinas pagas a 100 por cento (%) durante todo o período do curso e os outros que vão receber o subsídio vai ser transferido directamente para as contas das universidades e ainda os alunos vão ter descontos no valor que vão pagar, à luz de protocolos assinados com algumas das instituições universitárias do País”, indicou este responsável.

Segundo a mesma fonte é um valor que resulta de algum esforço por parte da câmara municipal, tendo em conta que não existe um financiamento próprio destinado a estes subsídios, mas, no entanto, justificou que é também atribuição da câmara subsidiar as famílias e apoiar nos estudos, principalmente o grupo de CSU, levando em consideração também a média conseguida pelos alunos.

Isto, conforme explicou, é uma forma de dar aos jovens oportunidade de terem uma formação e as mesmas oportunidades que os jovens das outras ilhas possuem.

E tendo em conta este esforço, aproveitou para pedir os beneficiários para aproveitarem esta oportunidade com sentido de compromisso e responsabilidade, reforçando que também foi assinado um termo de compromisso com os mesmos neste sentido.

Ainda no sector da educação na ilha, para este ano lectivo, informou que a autarquia assinou um protocolo com a FICASE a nível do transporte escolar, onde a gestão do transporte escolar vai ser feita através da câmara municipal.
Neste quesito, avançou que já foram contratados transportes para as crianças das localidades mais distantes e que ainda contam com mais três autocarros da câmara que têm estado a prestar este serviço.

O valor gasto com o transporte dos alunos, segundo o vereador, é superior a 7 mil contos por ano, considerando-o “um valor muito significativo tendo em conta a realidade bravense” e pelo facto de se tratar de um serviço totalmente gratuito para os pais e encarregados da educação desde 2013.

No aspecto escolar e de apoios, recordou que da parte do Governo foi implementada a política da isenção da propina para todos os alunos do 1º ao 12º ano, sublinhando que é preciso “repensar a sustentabilidade neste sector na ilha, tendo em conta o papel dos pais na educação dos filhos” para ver que contributo que podem vir a dar nos próximos tempos.

MC/JMV
Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos