Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Brava: Associação Biflores pretende realizar estudos para potenciais berçários de tubarões (c/áudio)

Nova Sintra, 23 Set (Inforpress) – A Associação Biflores pretende realizar um estudo de algumas áreas que podem ser “protegidas” e consideradas berçário de tubarões, e nesta missão, tenciona incluir as comunidades piscatórias.

Esta informação foi avançada à Inforpress pelo biólogo Gelsom Monteiro, responsável pelos projectos marinhos da associação, realçando que o principal objectivo é dar continuidade a um projecto maior sobre o estudo dos tubarões e as espécies existentes na ilha.

Segundo a mesma fonte, com o estudo vão fazer a marcação dos berçários e assim será possível prosseguir com a extrapolação da quantidade de tubarões existentes no local e de seguida estudar o espaço para entender porque é que os tubarões preferem este espaço para reproduzirem.

Após os possíveis estudos, o biólogo informou que pretendem criar áreas protegidas, pois a associação está a estudar a possibilidade de capturar crias de tubarões para colocar nestes locais.

Questionado se já possuem alguma ideia de locais que podem ser considerados berçários, este responsável avançou que na área dentro de Sorno, Portete, Tantum e sul da localidade de Furna, são alguns dos espaços que possivelmente podem servir para tal fim.

Entretanto, avançou que ligado aos tubarões, além das campanhas de sensibilização que tem vindo a fazer há já algum tempo, fizeram uma monitorização da vida marinha, nomeadamente em Aguadinha, Sorno e Tantum, em parceria com a Associação Cabo-verdiana de Ecoturismo (ECOCV).

Esta monitorização envolveu estudos e gravação de vídeos submarinos, que deram a indicação das espécies existentes nos respectivos locais, tendo identificado o tubarão-limão e o tubarão ponta preta.

Dentro destes estudos, Gelsom Monteiro avançou que estão a trabalhar com as comunidades piscatórias, tanto no processo de sensibilização como também da protecção das espécies, indicando que vão envolver os mais pequenos, através de um plano que pretendem socializar com a delegação do Ministério da Educação na ilha e trabalhar os alunos nas escolas.

Para a realização de tais estudos e projectos, este líder dos projectos marinhos apontou que a principal dificuldade é a nível material, exemplificando que uma embarcação para as respectivas saídas é o principal obstáculo, visto que dependem de terceiros.

A Biflores é uma associação de conservação da biodiversidade, sediada na ilha Brava, e tem como finalidade a protecção e conservação dos ecossistemas marinhos e terrestres, da sua biodiversidade e dos recursos naturais, bem como fomentar o envolvimento e o desenvolvimento sustentável da comunidade na ilha.

MC/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos