Brava: Agricultores temem que suas plantações sejam devastadas por pragas (c/áudio)

Nova Sintra, 01 Set (Inforpress) – Os agricultores bravenses dizem-se apreensivos e temem que as pragas da lagarta-do-cartucho e de gafanhotos devastem as culturas de milho e feijão que consideram estar “em bom caminho”.

Numa ronda feita pela Inforpress, a cada “esquina” encontram-se agricultores a fazer a sua primeira monda e em alguns casos já estão na segunda monda.

A opinião de que o ano agrícola “promete” é unânime, tendo em conta as chuvas que têm caído “frequentemente e em quantidade suficiente”.

Luís Mendes é um agricultor de Nova Sintra, que faz plantações tanto no sequeiro como de regadio e a esta altura, considerou que a sua plantação de milho está num nível “bem avançado”, porque o terreno encontra-se “bem molhado”.

A única preocupação deste e de tantos outros agricultores de Nova Sintra é a praga da lagarta-do-cartucho que está devastando as suas plantações a um “ritmo incontrolável”.

“Eu tenho feito algumas diligências, procurei remédio e tenho pulverizada a minha plantação. Mas quando há outros terrenos infestados, de nada adianta a minha luta porque a praga volta a atacar novamente”, disse o agricultor.

Já os agricultores da freguesia de Nossa Senhora do Monte, além da praga da lagarta-do-cartucho dizem-se estar preocupados com a praga de gafanhotos que, embora ainda não atingiu as plantações, já são visíveis nas encostas.

“Caso as pragas forem combatidas a tempo e as chuvas continuarem a cair no mesmo ritmo, não teremos problema com o ano agrícola. Mas, se não forem combatidas as pragas, mesmo que chova o ano fica por perdido”, avançou Cristiano Fernandes, agricultor da freguesia de Nossa Senhora do Monte.

MC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos