Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Boa-vistenses reivindicam em manifestação pacífica promessas feitas pelo Governo

Sal Rei, 06 Fev (Inforpress) – Um grupo de pessoas, com o propósito de reivindicar as promessas do Governo para com a Boa Vista, manifestaram, hoje, em Sal Rei, exortando ao poder central melhores condições de ligações marítimas, centro de saúde e bloco operatório. 

Numa manifestação pacífica sem passeata, esse grupo de pessoas esteve por algum tempo a frente do Centro de Saúde da ilha da Boa Vista para reivindicar um conjunto de promessas que dizem que não foram cumpridas pelo Governo.

Deste grupo de reivindicações destacam a conclusão do bloco operatório, voos internacionais da Europa para a ilha da Boa Vista, resolução da construção da praça do largo de Santa Isabel, laboratório de testes de covi-19, melhores condições de ligações marítimas, acabamento do bloco operatório, e ‘lay-off’ para todas as empresas. 

Em declarações à imprensa o membro da Associação SOS Bubista Gau Varela laçou o apelo para que “o Governo ajude a Boa Vista a sair do marasmo que se encontra de momento”. 

“As nossas reivindicações são claras nos nossos cartazes. Não viemos aqui para guerra, mas para reivindicar o que o Governo tem prometido a Boa Vista e não tem vindo a acontecer nada. Tudo o que foi prometido pelo Governo não vimos nada a ser cumprido principalmente a nível da saúde”, afirmou Gau Varela. 

Ainda no entender de Gau Varela, que foi uma das organizadoras da manifestação “a ilha está numa situação de caos e de abandono, no que diz respeito às ligações marítimas e aéreas, e de transportes de cargas”. 

Enquanto que Cláudio Morlyn explicou que o que “o motivou a aderir ao grupo é a luta pelos direitos que a ilha tem em usufruir das mesmas condições que as outras ilhas”. 

“Boa Vista ficou praticamente abandonada, houve muita promessa, mas não cumpriram nada. Estou aqui há vinte anos em Cabo Verde, sou empreendedor do turismo e sinto-me cabo-verdiano e sofro como os outros esta problemática”, referiu o manifestante, frisando que “o Governo tem que colocar as mãos no bolso e ajudar minimamente a ilha”. 

Ligações de voos semanais, laboratório de covi-19, conclusão do bloco operatório são outras reivindicações que, para Cláudio Morly, “o Governo tem que admitir que não cumpriu para com a ilha”. 

“O ministro vem dizer que teve ganhos significativamente na saúde, eu rio-me porque isto não é sério. Eles precisam admitir que não fizeram o que tinha que ser feito, e cumprir o que disseram”, disse Cláudio.

VD/ZS

Inforpress /Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos