Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Boa Vista: Zona de João Galego vive momentos difíceis por causa da falta de água – munícipes (c/áudio)

Sal Rei, 31 Mai (Inforpress) – Munícipes de João Galego denunciaram hoje uma crise de água naquela localidade do norte da ilha da Boa Vista, provocada por uma avaria no equipamento do furo que fornece água à rede de ligação domiciliária local. 

O munícipe Hector dos Santos informou à comunicação social que se vai completar dois meses que cada família consegue abastecer “somente quatro garrafões de 20 litros de água”, através das cisternas de água fornecidas pela câmara municipal. 

Este munícipe considerou ser “difícil” sustentar uma casa com essa quantidade de água, situação que se agrava quando se trata de famílias numerosas que, além das lides domesticas e de higiene, precisam de água para os animais que ajudam no sustento de muitas famílias naquela região.  

“Eu tenho um estabelecimento comercial e para colocar uma tonelada de água tenho de pagar mil escudos, ainda por cima trata-se de uma água salgada sem grande qualidade”, disse Hector dos Santos adiantando que, no intervalo de quinze dias, pagou dois mil escudos para o transporte de água e, dentro de dois dias, terá de voltar a fazer a mesma despesa.

“Se não tratarem de arranjar água para esta zona mais tarde não sei o que poderemos fazer”, disse outro munícipe Alísio Rocha, acrescentando que “a quantidade de água que cada um apanha não chega se se tiver de lavar roupas em casa”.  

Ademais, segundo ajuntou, a quantidade de água a que tem direito por dia não chega, sequer, para dar de beber ao cavalo, muito menos às suas cabras”.  

Por isso, pediu a resolução do problema “o quanto antes” porque disse entender que a prioridade deverá ser consertar a avaria no furo e resolver o problema da falta de água em João Galego porque, se a situação se mantiver, pondera acabar com a sua criação de gado.

Pedro “Pitxa”, que vive praticamente da agricultura, afirmou que “não há água para trabalhar neste sector, não há pasto e nem trabalho para se conseguir comprar ração para os animais”.  

Durante a reportagem a Inforpress constatou a chegada de um camião da Câmara Municipal da Boa Vista para abastecer as duas cisternas de água em João Galego.  

VD/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos