Boa Vista: Tribunal adia ACP da “omissão de auxílio de evacuação” pela Binter no caso da morte de uma grávida

Sal Rei, 17 Jan (Inforpress) – O tribunal da Boa Vista adiou para 10 de Fevereiro a Audiência Contraditória Preliminar (ACP) do caso de “omissão de auxílio de evacuação”, pela Binter, à grávida Eloisa Teixeira transportada via marítima ao Sal, onde viria a falecer.

Segundo informações apuradas pela Inforpress no tribunal, a ACP, que teve início na terça-feira, 14, e devia continuar até sábado, 18, foi reagendada para o dia 10 de Fevereiro.

O caso deste ACP remonta a Julho de 2018, quando a jovem Eloisa Teixeira, 30 anos, deu entrada no Centro de Saúde com “uma gravidez ectópica”, tendo sido transportada numa embarcação de carga via marítima para a ilha do Sal, depois de alegada recusa de transferência  pela companhia aérea Binter.

Eloisa Teixeira morreu na ilha do Sal, depois de fazer a travessia Boa Vista-Sal via marítima.

O Ministério Público abriu um processo e a 06 de Dezembro do ano passado acusou a companhia aérea Binter-CV do crime de impedimento à prestação de socorro e de omissão de auxílio.

Esteve presente na audição na ACP, o piloto, administração da Binter, assistentes de bordos, médicos, enfermeiros, outras testemunhas e pessoas ligadas ao caso.

A Inforpress tentou apurar as razões do adiamento da audiência para 10 de Fevereiro, mas não foi possível.

Em Novembro, a Binter Cabo Verde foi condenada pelo Tribunal da Comarca da Boa Vista a pagar uma multa de quatro mil contos, num outro processo de omissão de auxilio no caso do jovem que foi baleado no abdómen, que aconteceu também na ilha da Boa Vista.

Neste mesmo processo, o piloto a serviço da companhia área foi condenado a um ano de prisão com pena suspensa.

VD/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos