Boa Vista: Terceira edição de “Ondas para Elas” coloca foco na criação de rede de conexão entre participantes

Sal Rei, 05 Abr (Inforpress) – A terceira edição de “Ondas para Elas”, que se inicia hoje, tem como objectivo ajudar os participantes a criar uma conexão com o corpo, os outros e o meio exterior, a par do empoderamento feminino através de várias actividades.

A informação foi avançada por uma das organizadoras do projecto Ondas para Elas, Ginevra Rossi, que falava à Inforpress após apresentação da programação da terceira edição de Ondas para Elas às participantes.

“Esta edição terá foco no percurso de cada criar uma forma de ver a si próprio, analisando o corpo e a sua própria pessoa, e ainda como se conecta ao externo e ao ambiente”, afirmou, certificando que o acampamento na final da programação deste ano, a ter lugar na praia de Ervatão, servirá para reflectir sobre tudo o que cada uma vivenciou.

Constam no programa durante este mês de Abril, todas as terças, quartas e sábados, desporto náuticos com destaque para o surf, dança e teatro, bem como debates, conversas e trocas de experiências com apoio de um psicóloga para se falar de entre outros temas a menstruação, saúde sexual, saúde mental, violência de género, autodefesa, masculinidade, maternidade.

“Pela quantidade de mulheres envolvidas nesta edição acho que será muito interessante”, espera Ginebra Rossi sublinhando aumento da participação a cada ano, pelo que observou conferirá futuramente a criação de uma rede de conexão que poderá ajudar a mudar a mentalidade, estereótipos.

Aliás conforme justificou estas foram as principais razões da criação de Ondas para Elas, que nasceu em 2021, através da troca de ideias com outras colegas, que em conversa analisaram que, na sociedade há muitas coisas que ainda tem que se mudar, e que a melhor forma e fácil de mudar algo tem que ser a partir de nós próprios.

Isto porque, conforme reflectiu, há igualdade de género “no papel”, mas na realidade as mulheres não sentem força para conseguir tudo como o homem, tendo em conta os estereótipos que a camada feminina interioriza e mentalizou.

“Neste grupo as mulheres podem sustentar e apoiarem-se entre si, sabendo que não estão sozinhas nas vivências de inseguranças, e que se consegue enfrentar o mundo. Acho que é algo que poderá ajudar muito as mulheres”, opinou.

Ginevra Rossi agradeceu o apoio das empresas parceiras na concretização de Ondas para Elas como Uhaa, Wind Club, que patrocinou os materiais de desportos náuticos, e TUI que vai patrocinar os transportes das pessoas do interior.

VD/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos