Boa Vista: Sérgio Corrá reitera que “continua firme” em rejeitar fazer parte da Mesa da Assembleia Municipal (c/áudio)

Sal Rei, 21 Nov (Inforpress) – O candidato do Partido Popular à presidência da Assembleia Municipal, Sérgio Corrá, reiterou que “continua firme em não querer fazer parte da mesa”, estando à espera de saber o que os dois partidos, PAICV e MpD, pensam fazer.

Sergio Corrá convocou a imprensa para falar sobre a decisão da presidente da mesa provisória da Assembleia Municipal, Elisabete Évora, que na sexta-feira, 20, decidiu suspender o acto solene de instalação dos órgãos da nova Assembleia Municipal da Boa Vista, adiando para segunda-feira, 23,  no Centro de Arte e Cultura (CAC), as 16:00.

A presidente da mesa provisória propôs pelo MpD a lista A, onde constava Sérgio Corrá para secretário, para integrar á mesa definitiva daquele órgão autárquico, “sem o seu consentimento”.

Nesta mesma proposta o MpD indicou os nomes de Elisabete Évora para presidente, e Walter Évora (PAICV) para vice-presidente.

O PAICV, por seu lado, apresentou a lista B, com indicação de Walter Évora para a presidência da Assembleia Municipal da Boa Vista, Roberto Ramos, para vice-presidente, e Cecílio Pinto, para secretário.

Sérgio Corrá explicou que foi contactado três vezes pelo MpD, através de Elisabete Évora, Paulo Santos, e também pelo presidente cessante da assembleia, Péricles Barros, tendo confirmado a todos que o Partido Popular “não tinha nenhum interesse” em pertencer a mesa da assembleia municipal.

Apesar de Sérgio Corrá manter-se firme na decisão de não querer fazer parte da lista proposta do MpD, e considerando o mesmo que “sendo a politica alquimia incalculável”, disse, entretanto, que o PP precisa “estar aberto a nível institucional”, se for necessário fazer parte de uma lista para resolver este problema, para ajudar na formação da nova mesa definitiva.

Segundo a mesma fonte, a intenção do seu partido de ficar na bancada como eleito municipal, é porque nesta posição poderá interagir com a população, principalmente com a primeira parte da assembleia quando houver a intervenção dos munícipes.

“Portanto, ficando na mesa é necessário ter uma postura sobre partes e isso não interessa ao Partido Popular”, frisou, mostrando-se ainda “expectante” que até a segunda-feira, “qualquer coisa poderá acontecer”.

Sérgio Corrá avançou ainda que até agora não foi contactado por ninguém desde a suspensão da sessão de instalação dos órgãos autárquicos, estando ainda “à espera de saber o que pensa fazer o MpD e o PAICV, para resolver esta situação”.

O cabeça de lista do PP na ilha da Boa Vista mostrou-se ainda surpreendido com a atitude da presidente da mesa provisória que não deu a possibilidade à plenária de usar da palavra, tendo a mesma “desaparecido da sala”.

Para ele, tal atitude criou um “constrangimento que terá um custo elevadíssimo”, sendo que, conforme reflectiu, realizar este tipo de evento numa ilha onde neste momento há problemas da covid-19, como em todo o resto do País, tendo em conta que a maioria dos convidados são da Cidade da Praia, precisam regressar num dia que não há outros voos.

“Reorganizar este tipo de eventos será um custo que o MpD precisa acatar com a sua responsabilidade”, concluiu Sérgio Corrá.

Os trabalhos da primeira reunião do acto solene para instalação dos órgãos autárquicos devem reiniciar-se na segunda-feira, 23,  no Centro de Arte e Cultura (CAC), as 16:00.

VD/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos