Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Boa Vista/covid-19: PN começou a aplicar coimas e multas por incumprimento das medidas de segurança (c/áudio)

Sal Rei, 20 Mai (Inforpress) – O comandante regional da Polícia Nacional (PN) na Boa Vista afirmou hoje que a corporação já começou a aplicar coimas e multas a estabelecimentos e indivíduos, por incumprimento das medidas de segurança contra a covid-19.

Bremen Cardoso adiantou esta informação à imprensa, quando fazia o balanço das acções de fiscalização e sensibilização que a PN leva a cabo em conjunto com outras instituições, tendo em conta o estado de calamidade decretado pelo Governo, em todas as ilhas do País, com excepção da Brava, em vigor desde 30 de Abril e por um período de trinta dias.

A meio percurso do estado de calamidade, a autoridade policial faz uma avaliação “positiva das acções de fiscalização” com vista a driblar “a situação crítica em que a ilha se encontrava”.

“Neste momento, podemos dizer que a situação é normal”, considerou, destacando a colaboração da população, sublinhando que “ainda não se pode baixar os braços”.

O comandante garantiu que a PN na Boa Vista tem estado a monitorizar o Estado de calamidade em toda a ilha, tendo já realizado três acções de sensibilização na vertente prevenção e repressão, para fazer cumprir as medidas decretadas.

Entretanto, apesar de se regozijar com a colaboração da população, o comandante anunciou que a Polícia Nacional aplicou aplicado algumas coimas por incumprimento das normas.

A Polícia Nacional, prosseguiu, fiscalizou, desde o inicio do estado de calamidade até hoje cerca de 336 estabelecimentos, entre comerciais, de ensino, entre outras instituições públicas e privadas.

Neste mesmo espaço temporal foram encerrados 12 estabelecimentos, entre pubs dancing, bares, restaurantes e lojas, por incumprimento de normas sanitárias e horários estipulados no estado de calamidade.

O comandante regional da PN contou que na averiguação do cumprimento do horário de funcionamento foram feitas 150 abordagens a estabelecimentos, e a aplicação de coimas entre o valor mínimo de 1.500 escudos a 15 mil escudos a dez estabelecimentos, por incumprimento das normas sanitárias.

Ainda segundo a mesma fonte, foram abordadas 1.377 pessoas na via pública, tendo sido conduzidas à esquadra para identificação 10 indivíduos por recalcitrarem a ordem da polícia, falta de identificação, ou por incumprimento das medidas sanitárias, nomeadamente o uso de máscaras.

“Já temos uma luz no fundo do túnel, graças à colaboração da população, sem a qual não sentiríamos este número e diminuir. Mas não podemos baixar os braços”, reiterou, frisando que “foi necessário endurecer algumas medidas, nomeadamente nas aplicações de coimas e encerramentos de estabelecimentos”.

Quanto à segurança pública na Boa Vista, Bremen Cardoso afirmou que “por estes dias, pelo menos na última semana, não se fez nenhum registo, e que nem houve nenhuma ocorrência que seja digno de registo, salvo as corriqueiras, como pequenos autos em situações normais e simples”.

“Em termos de segurança, no seu todo, a ilha está bem. Só temos pela frente esta questão da covid-19, a ver se a ilha estará preparada para receber o turismo e retomar a actividade económica”, finalizou.

VD/JMV
Inforpress

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos