Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Boa Vista: Pais e encarregados de educação pedem “urgência para resolver problema” de transporte de alunos do Norte

Sal Rei, 27 Out (Inforpress) – Os pais e encarregados de educação da zona norte “pedem resolução urgente” do problema de transporte dos alunos, para assistirem a aula de educação física, na Escola Secundária da Boa Vista, que acontece no período contrário às outras disciplinas.

Segundo a mesma fonte, “os alunos vêm para aulas no período de manhã, e no período contrário, à tarde, duas vezes por semana, têm aulas de ginástica. Mais tarde são obrigados a ficar durante o dia na cidade, aguardando a hora do transporte, ou à espera de boleia para regressarem à casa”.

As famílias comparticipam com 3 mil escudos para o transporte, e a Câmara Municipal da Boa Vista com 2 mil escudos, mensais, por aluno.

O pai de dois alunos Victor Marques explicou que a deslocação que já é distante e “estressante” para um aluno, quanto mais, acrescentou, “quando têm que ficar o dia todo na cidade de Sal Rei, por vezes sem condições financeiras para comprar um lanche”.

“Isto acarreta complicações tanto para os pais como para os alunos. Estes podem se desviar, tendo em conta ao meio e ambiente que se vive hoje em dia. Queremos ver a melhor forma de o resolver mais rapidamente”, afirmou Vitor, que apresentou as propostas de se colocar as duas aulas de ginástica num único dia/única hora, ou então de se deslocar um professor ao norte para leccionar a disciplina.

O encarregado de educação João Mosso mostrou-se “apreensivo com este impasse”, informando que “já se fez três ou quatro reuniões entre os pais para debaterem sobre este problema”.

“Os alunos muitas vezes sentam-se no chão na ida e regresso. O autocarro vem carregado de outras pessoas, visto que os autocarros são para os alunos”, alertou João, que frisa que os alunos têm vindo a pagar 250 escudos para irem às aulas de ginástica ou para regresso ao norte, sob pena de ficarem mais tarde à procura de boleia, por vezes até à noite.

João Mosso alerta ainda que por causa disso há alunos que já faltam às aulas de ginástica, tendo ele a informação de que já há alguns quase a reprovar, para isto basta seis faltas.

A mãe Maria Celeste denunciou a “falta de condições do autocarro”. A mesma fonte disse, que a viatura apresenta sempre avarias, e ainda, segundo contou, já se avariou pelo caminho levando os alunos a chegarem atrasados na aula.

“É urgente resolver esta situação de melhor forma possível”, pediu Maria que sugere de maneira radical a possibilidade de saírem da empresa transportadora, com ou sem apoio da câmara, ou ainda de irem às ruas em forma de protesto.

Outra encarregada de educação retirou ser “inadmissível” os alunos ficarem no chão, avançando que o autocarro carrega boiões de combustíveis, e ainda agricultores e vendedores com suas mercadorias para comercializarem em Sal Rei.

Perante isto, todos os pais e encarregados de educação são unânimes em “pedir urgência na resolução deste impasse”. Conforme explicam, “já se torna desgastante para todos”, e falam “na possibilidade de irem as ruas em forma de protesto”.

VD/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos