Boa Vista: ONAD CV faz periodicamente controlo antidopagem em atletas individuais – presidente

Sal Rei, 07 Mai (Inforpress) – A ONAD-CV efectua na ilha da Boa Vista periodicamente o controlo antidopagem em atletas individuais, fora de períodos de competições, mas ainda não efectuou este tipo de análises de forma massiva em modalidades colectivas.

Esta informação foi avançada na sexta-feira lo presidente da Organização Nacional Antidopagem de Cabo Verde (ONAD-CV), Emanuel Passos, que falava à comunicação social após apresentar o Regime Jurídico de luta contra Dopagem no Desporto e conversa aberta sobre o assunto com dirigentes e associações desportivas, actividade inserida no IV Encontro Nacional de Vereadores de Desporto e Juventude que termina no sábado,7, na Boa Vista.

De acordo com o responsável, a ONAD-CV que tem vindo a fazer estas apresentações nos diversos municípios do país, concluindo esta segunda exibição na ilha , depois de visitas de sensibilização nas escolas da ilha.

Emanuel Passos justificou ainda esta apresentação enquadrada neste evento de encontro de Vereadores, por verem as câmaras municipais como parceiros na promoção do desporto limpo, justo e saudável.

“Na Boa Vista fazemos controle antidopagem periodicamente em atletas, fora do período de competições, isto é, há desportistas que fazem parte da nossa lista alvo. Apesar de em termos de controle massivo ainda não os realizamos em modalidades colectivas na ilha”, disse, sem especificar, dispensando, entretanto, comentários, se esses atletas são os que participam em competições nacionais ou internacionais.

Sobre o cenário de cumprimento a nível nacional de usos de substâncias consideradas nas análises antidopagem, o responsável foi categórico ao responder “obviamente que sim”.

“Em qualquer parte do mundo há uma pequena percentagem de atletas que acabam por violar as normas antidopagem”, disse, sublinhando “daí a importância de se continuar o controlo antidopagem em Cabo Verde”.

Mas Manuel Passos disse que ainda não se sabe ao certo a real dimensão desta questão em Cabo Verde, isto porque, conforme indicou, se entende que é preciso aumentar o controlo antidopagem no número das modalidades, das regiões e nos eventos desportivos.

“Se olharmos apenas para o número de controles feito e o resultado, digo que o número é bastante reduzido, mas não é representativo da realidade desportiva cabo-verdiana”, precisou.

Quanto à atuação das câmaras municipais ou dirigentes desportivos, quando houver casos suspeitos de dopagem, o dirigente da organização informou que, por lei, devem denunciar às autoridades competentes na área, no caso a ONAD-CV.

Mas mesmo que por lei não fossem obrigados a efetuar este tipo de denúncia, o presidente da ONAD-CV considera que, eticamente, dever-se-ia fazer isso, uma vez que se está a falar da saúde dos jovens, havendo a necessidade deste tipo de relatos para assegurar que os jovens escolham o melhor caminho.

“Portanto, depois desta conversa esperamos esta postura da parte dos dirigentes desportivos”, pontuou.

VD/JMV

Inforpress

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos