Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Boa Vista: Joaquina Almeida afirma que os trabalhadores da Boa Vista estão à mercê dos empregadores

Sal Rei, 13 Jan (Inforpress) – A Secretária-geral da UNTC-CS, Joaquina Almeida, afirmou hoje que a saúde laboral na ilha da Boa Vista não vai bem e denunciou que os trabalhadores estão abandonados e à mercê dos abusos dos empregadores.  

Joaquina Almeida falava à imprensa na ilha da Boa Vista, onde se encontra no quadro de uma formação sobre a legislação laboral e nova lei do álcool, promovida pela União Nacional dos Trabalhadores Cabo-verdianos – Central Sindical (UNTC-CS) e dirigida aos dirigentes sindicais.

Conforme indicou em causa  está a ausência de um representação da Inspeção-geral di Trabalho (IGT). 

“A saúde laboral na ilha das Dunas não vai bem. Como sabemos é uma ilha turística, não se vislumbra uma representação da IGT e aproveitamos para criticar a ausência de instituições de género na ilha da Boa Vista”, afirmou alegando que devido a isto, “os trabalhadores se encontram abandonados”.

A dirigente sindical que aproveitou a sua estada na ilha fazer algumas visitas aos hotéis e outras instituições, tendo reunido também presidente da Câmara Municipal da Boa Vista, Cláudio Mendonça, lembrou que IGT é uma instituição com poderes para aplicação coimas em caso de alguma violação ou de algum incumprimento laboral.

Neste sentido salientou que presença de um representação da IGT poderia inibir alguma violações aos direitos dos trabalhadores e questionou por onde anda o Inspector-geral do Trabalho (IGT) e os inspetores, sublinhando que, “os trabalhadores da ilha da Boa Vista está à mercê dos abusos de empregadores”.

Sobre a formação que tem a duração de dois dias explicou que o objectivo é de garantir que dirigentes sindicais estejam sempre actualizados com a lei, particularmente a lei laboral tendo em conta as alterações.

“Esta formação visa capacitar estes dirigentes sindicais de modo a poderem dar respostas prontas às várias questões do mundo laboral e defender os direitos e interesses dos trabalhadores”, concluiu.

VD/MJB

 Inforpress

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos