Boa Vista: INCV entrega quadro da réplica do primeiro Boletim Oficial do País publicado na ilha em 1842

Sal Rei, 21 Nov (Inforpress) – O presidente da Imprensa Nacional de Cabo Verde entregou hoje, ao edil da Boa Vista, um quadro da réplica do primeiro Boletim Oficial, publicado na ilha em 1842, no âmbito das comemorações dos 180 anos dessa publicação.

Durante o discurso da comemoração da efeméride, o presidente da Câmara Municipal da Boa Vista, Cláudio Mendonça, considerou uma honra receber o quadro que simboliza a impressão do primeiro Boletim Oficial (B.O) que aconteceu na ilha da Boa Vista a 24 de Agosto de 1842.

“Sendo Boa Vista o berço da imprensa nacional dá-nos, claramente, importância e recorremos à história e àquilo que a ilha contribuiu, efectivamente, para a nossa imprensa nacional ou para aqueles que querem enveredar para a área da investigação para saber mais sobre a imprensa nacional”, afirmou.

O edil informou que, num primeiro momento, o quadro será colocado no Centro de Arte e Cultura (CAC), na Biblioteca Municipal para que os alunos e professores conheçam o primeiro boletim oficial e desafiou a imprensa nacional a fazer uma aula para dar aos mesmos a história da imprensa nacional.

“Somos o berço da morna e da imprensa nacional e é daqui o primeiro Presidente da República de Cabo Verde. Temos de vender isso para as nossas crianças, para o mundo e, se calhar, trazer estas informações para o circuito não só cultural, mas também turístico”, observou, almejando que se venha a efectivar uma parceria entre a edilidade e a imprensa nacional e que a mesma chegue a todos os povoados da ilha para se reconhecer o valor histórico presente no surgimento da primeira imprensa nacional.

Para o mesmo é importante que Boa Vista seja reconhecida no sentido de fazer parte da história da imprensa nacional, daí que fez saber que o município quer colaborar do ponto de vista do protocolo e da cooperação para que a autarquia continue a contribuir para a história de Cabo Verde.

O presidente da Imprensa Nacional, Raimundo Lopes, recorreu à história para explicar que há 180 anos que a imprensa nacional contribui para a consolidação do Estado de direito em Cabo Verde e que a ilha da Boa Vista foi o berço da imprensa nacional do País já que foi onde que foi publicado o primeiro Boletim Oficial, numa quarta-feira, em 1842.

Como uma das razões para este acontecimento indicou que a ilha, na altura, ocupava um lugar de destaque, com pessoas influentes que muitas vezes teriam de ser auscultadas quando os Governadores queriam tomar quaisquer decisões e por a ilha viver um momento de auge do comércio do sal, da urzela e de outros produtos que eram exportados daqui.

Entretanto, conforme continuou, a partir do momento em que a febre amarela entrou na ilha da Boa Vista houve alguma decadência no comercio da exportação de sal e o Governador saiu da ilha e, tendo em conta que onde estava o Governador é que teria de estar a imprensa, o mesmo a levou consigo para ilha Brava.

“Mas ficou o registo de que a ilha da Boa Vista é o berço da Imprensa Nacional e, por isso, decidimos que o ano 2022 é o ano dos 180 anos, pelo que até Dezembro estaremos em comemoração”, disse.

“Hoje a imprensa está a passar por uma transformação enorme, mas não podemos esquecer o nosso berço, a parte inicial. Hoje a imprensa tem projectos diferentes, estamos a caminhar para a gráfica de segurança e saindo, gradualmente, da gráfica tradicional”, disse.

Raimundo Lopes adiantou que, a partir de Agosto, a imprensa nacional vai começar a personalizar os documentos de segurança, como o passaporte cabo-verdiano, o cartão nacional de identificação e os títulos de residência.

VD/HF

Inforpress/FIM

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos