Boa Vista: Equipa multidisciplinar já fiscalizou 50 estabelecimentos e atribuiu oito selos de conformidade  

Sal Rei, 19 Nov (Inforpress) – Uma equipa multidisciplinar que se encontra na ilha da Boa Vista a averiguar o funcionamento de estabelecimentos, em conformidade com as normas, condições e procedimentos de segurança sanitária, já efectuou 50 fiscalizações e atribuiu oito selos de conformidade.

Este é o balanço feito pelo presidente da Protecção Civil, Renaldo Rodrigues, que se encontra na ilha desde sexta-feira numa missão em conjunto com outras entidades como ERIS, IGAE, Policia Nacional e Protecção Civil, para fiscalizar e constatar a implementação e o cumprimento das medidas de prevenção sanitária nos estabelecimentos e instituições públicos e privadas.

Aos estabelecimentos submetidos a inspecções poderão ser-lhes atribuído o selo de conformidade se cumprirem as normas de segurança no âmbito da contenção da covid-19, sendo esta mais uma medida para promover o grau de apropriação das regras que se enquadram na portaria nº 43/2020 que atende ao exposto na resolução 113/2020, de 07 de Agosto.

“Já foram alvo de fiscalização cerca de 50 operadores económicos do sector público e privado, e atribuímos até então oito selos”, avaliou o presidente, observando que a inspecção é a nível nacional e que Boa Vista é a ilha onde já se atribuiu, até agora, o maior número de selos.

Apesar de constatar no terreno “uma ou outra situação que requer atenção”, mas, no geral, Renaldo Rodrigues assinalou que tem sido “satisfatório e agradável” ver o cumprimento das normas por muitos que “tem consciência em obedecer as regras”.

Sobre estas situações de “alerta”, disse que houve “choque inicial” nos espaços nocturnos, em que na sexta-feira, 13, foram alvos de duas primeiras fiscalizações, afirmando que, “se deparou, além da sobrelotação, clientes e mesmo funcionários no atendimento sem máscaras”.

O responsável contou que advertiu directamente os donos dos estabelecimentos, por considerar “ser inadmissível” encontrar o incumprimento das regras e medidas preventivas da covid-19 e que estes “têm que ser observado por todos”, tendo em conta o contexto que se vive, apesar de a ilha estar em situação de contingência.

No inicio da semana, o foco da inspecção aconteceu nos estabelecimentos do sector alimentar e também de serviços públicos, com destaque para o sector bancário, instituições públicas e delegacia de saúde, em que disse ter constatado que as medidas estão “praticamente todas bem conseguidas”.

Aliás, Renaldo Rodrigues descreve que este trabalho tem sido sobretudo “na base de um nível pedagógico”, dispensando a equipa durante as acções algum tempo para “explicar e sensibilizar as pessoas o que deve ser feito, principalmente a importância da prevenção”, para que nenhum dos funcionários, clientes ou utentes sejam contaminados.

Na Boa Vista, indicou Renaldo Rodrigues, ainda nenhum estabelecimento foi alvo de suspensão mais prolongado ou encerramento, reiterando que após as primeiras vistorias, regressaram aos estabelecimentos que receberam o selo e perceber se corrigiram as inconformidades, como por exemplo a adequação do plano de contingência nos espaços.

“É um trabalho que não pode esgotar numa semana, por isso estamos a trabalhar com autoridades locais para dar continuidade a estas acções que exige fiscalização permanente, para que as pessoas não caiam no relaxamento, que pode levar a contágios no seio das instituições e encerramento dos serviços”, concluiu o presidente da Protecção Civil.

VD/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos