Boa Vista/Dia Mundial dos Oceanos: MariAlliance recolhe 300 sacos de lixo em campanha de limpeza no “Djéu”

Sal Rei, 8 Jun (Inforpress) – A organização não governamental MariAlliance recolheu hoje cerca de 300 sacos de lixo no ilhéu de Sal Rei, Djéu, envolvendo cerca de 150 pessoas numa mega-campanha de limpeza, alusiva às comemorações ao Dia Mundial dos Oceanos.

Ao inicio de manhã, aos poucos, as pessoas foram chegando para apanhar bote e se deslocarem ao ilhéu de Sal Rei, a fim de participar na campanha de limpeza organizada pela MariAlliance, organização não governamental de cariz ambiental.

Segundo informou à Inforpress a responsável de educação e sensibilização da Marialliance, Cíntia Lima, conseguiu-se recolher cerca de 300 sacos de lixo, juntando-se a estes bóias e garrafas de plásticos e outros resíduos sólidos, na campanha que envolveu cerca de 150 pessoas.

“A escolha do ilhéu é devido ao estado que o Djéu se encontrava. Pela quantidade de lixo tanto trazido pelos visitantes, como também como dos resíduos que vêm da cidade e de outras zonas através das correntes marítimas”, disse Cíntia Lima.

Para a responsável, “muitas vezes as pessoas retiram o corpo de fora neste tipo de situações”, referenciando “falta de consciência do impacto que o lixo pode ter tanto nos oceanos, como nas praias”, o que para ela “não ajuda no melhoramento do aspecto ambiental na ilha”.

Entretanto, nota como ponto positivo “o aumento de campanhas organizadas por grupos organizados, não só de ONG, mas como o engajamento de outras associações”.

A ambientalista apontou como exemplo as escolas, que segundo disse, “tem feito muito no que se refere às actividades para promover eventos de sensibilizações e consciência ambiental”.

Cíntia Lima aconselha “as pessoas a saírem dos escritórios e começarem a ver o que se passa nas ruas, no sentido de não só lamentar, mas ver e procurar saber o que está a acontecer, principalmente os impactos ambientais no país e no exterior”.

“Vamos tentar trabalhar na prevenção e não remediar com experiência, depois de o problema já ter acontecido e avançado. Temos que apostar mais nas campanhas de sensibilização em contacto directo com a população, algo mais próximo”, alerta.

Esta campanha foi organizada em parceria com a Terra Kriola, Delegacia de Saúde, Associação de Pescadores e Peixeiras de Boa Vista, Câmara Municipal de Boa Vista e contou ainda com a participação de várias organizações, como o projecto Tartaruga de Boa Vista, Fundação tartaruga, Bios Cabo Verde, escuteiros de Sal Rei, surfistas e professores.

VD/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos