Boa Vista: Caminhada rosa com mensagens de encorajamento de pessoas que tem familiares na luta contra o cancro (c/áudio)

Sal Rei, 31 de Out (Inforpress) – A “Caminhada Rosa” deste ano ficou marcada pela fraca adesão de pessoas mas contou com mensagens de familiares de pessoas vítimas da doença que exortaram os seus familiares a continuarem “com esperança” na vitória contra a doença.

A marcha para assinalar o dia da luta contra o cancro, teve início na manhã de hoje com a adesão de poucas pessoas que partiram para a caminhada, com término na “praia de diante”, com uma aula de ginástica.

Ali os presentes, ouviram palavras o organizador do evento, Lamine Rush que, apesar de lamentar a fraca adesão de pessoas, destacou a presença de um grupo de idosas do Bairro da Boa Esperança que aderiram à caminhada.

“Este é o terceiro ano que saímos à rua nesta caminhada para a luta contra o cancro. Gostaríamos que houvesse um maior número de participantes, mas compreende-se, tendo em conta esta problemática que envolve a covid-19, e devido a compromissos das pessoas. Mas foi bom número para esta participação”, afirmou Lamine Rush.

Este organizador, que é presidente da Associação dos Jovens Solidários da Boa Vista (AJSBV), recordou o evento do ano passado que teve a participação e testemunho de uma idosa que falou da sua luta contra câncer.

Daí, segundo o mesmo, a sua sensibilização para este ano trazer mais idosas do bairro da Boa Esperança ao evento para que, reflectiu, “a caminhada não ficasse somente concentrado na cidade de Sal Rei”.

Lamine Rush, único homem presente caminhada rosa, aconselhou as mulheres, a fazerem exames de despiste de câncer de mama e de colo de útero, adiantando ainda que pretende realizar uma palestra no bairro de Boa Esperança, destinado aos idosos, para que pessoas de saúde os explique sobre a doença e as suas formas de prevenção.

Este ano a caminhada rosa na ilha da Boa Vista contou com mensagens de encorajamento de pessoas que têm familiares que lutam contra o cancro. É o caso de Sónia Neves que disse que, ver pessoas com a doença e ainda familiares que lutam contra câncer, são “motivos que a fizeram aderir à caminhada”.

“Sempre tive fé em ajudar o meu familiar, tudo ficou bem. As pessoas não devem desanimar logo no início. É preciso ter esperança que sempre vai dar tudo certo”, contou Sonia Neves que aconselha outras mulheres a “não terem medo de fazer o toque nos seios, ou chek-up regulamente no médico”.

Já Mendes Cabral, mãe de uma jovem que se encontra em tratamento do cancro, na Cidade da Praia, falou da luta da filha que espera por uma oportunidade de ir ao exterior continuar os procedimentos médicos.

“Tenho uma filha que está em tratamento na Cidade da Praia. Mas antes disso fez varias consultas, sem saber exactamente o que tinha. Somente há pouco tempo é que veio a descobrir que tem cancro. Ela já fez duas operações, mas ainda está na luta”, disse Já Cabral que se mostrou desesperada e em jeito de apelo, pediu ajuda para a filha que tenta a oportunidade de ir continuar o tratamento no exterior.

VD/HF

Inforpress/Fim

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos