Boa Vista: Câmara lança SOS para junto com Governo encontrar solução para a dizimação do gado por cães vadios

Sal Rei, 21 Jul (Inforpress) – O presidente da câmara da Boa Vista lançou hoje um SOS ao Governo para juntamente com os criadores tomar medidas que se impõe para minimizar a mortandade massiva de gados que vêm sendo dizimados pelos cães vadios.

José Luís Santos fez este alerta durante uma conferência de imprensa para dar conta daquilo que chamou de “desespero, aflição e desanimo” que se apoderou dos criadores de gado da Boa Vista, cujos animais vêm sendo dizimados pelos cães vadios.

O edil boa-vistense considera que se trata de um caso “delicado” que a câmara tem vindo a gerir com “delicadeza” tendo informado ainda que a sua equipa tomou recentemente iniciativas que prefere, por agora, “não falar publicamente”.

“Temos assistido, nos últimos tempos, a uma mortandade massiva, sobretudo do gado caprino que vem sendo dizimado na ilha de Boa Vista pelos cães vadios”, disse José Luís Santos, que avançou ainda que neste mês abordou-se este assunto com o Governo, sendo que como poderes públicos, têm que, de facto, fazer algo “urgente” para ajudar os criadores.

Entretanto, o autarca atenta que, o “pior” é que os cães já não sô atacam os animais, mas tem vindo a atacar também os humanos, daí que sublinhou, a proporção que esta situação tomou lhe faz lançar um SOS.

“Lanço um SOS muito responsável, mas também urgente ao Governo para nos ajudar, para que nós, a câmara municipal, juntos com os criadores de gado, tomarmos as medidas que se impuserem para minimizar esta situação que denunciamos”, disse José Luís, sublinhando que este alerta se estende a outra proporção ainda mais preocupante.

“Demos conta de que animais que têm sido mortos pelos cães estão a ser comercializados, ou seja, nós todos, provavelmente, estamos a consumir carne contaminada dos gados mortos pelos cães”, afirmou o edil, frisando que se continua a tratar este assunto com “alguma ponderação”, mas que, apontou, “agora é hora de acção”.

E para isso, observou que há necessidade de traçar um plano para acudir os criadores de gado que, “são pessoas que não precisam de trabalho do Estado para a sobrevivência das suas famílias porque com a criação de gado conseguem sustentarem-se.

Por isso, assinalou, neste momento coloca-se em causa a sobrevivência dessas pessoas, e que é urgente tomar acções programadas para fazer face a esta questão.

“Os criadores não estão sozinhos, e temos feito algumas diligências, mas vamos rapidamente tomar outras para os ajudar a salvar o gado que anda a ser dizimado na ilha da Boa Vista”, reiterou o presidente da câmara.

VD/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos